Pressionado, técnico Geninho pede demissão e deixa o comando do Avaí

O Avaí aceitou o pedido de demissão de Geninho, nesta sexta-feira, e o técnico não comanda mais o clube catarinense na Série B do Campeonato Brasileiro. O treinador de 72 anos vinha sofrendo intensa pressão pelos últimos resultados.

"Geninho não é mais o técnico do Avaí. A decisão foi tomada em conversa com o presidente (Francisco José) Battistotti há pouco, quando pediu para ser demitido e foi atendido, encerrando sua terceira passagem pelo clube. O Avaí agradece aos serviços prestados", diz nota oficial do clube catarinense.

Agora, o Avaí busca seu terceiro técnico na Série B, uma vez que começou a caminhada com Rodrigo Santana. O experiente Geninho iniciou sua terceira passagem pelo Avaí em agosto e obteve 11 vitórias, quatro empates e 11 derrotas.

Apesar do Avaí estar no sétimo lugar, com 37 pontos, quatro abaixo do G-4, os últimos resultados pesaram para a saída do treinador, como a derrota para o lanterna Oeste por 3 a 0. Já são três jogos sem vitória, com duas derrotas e um empate.

Na última semana, o Conselho Deliberativo do Avaí emitiu nota pedindo a "cabeça" de Geninho. O treinador colocou o cargo à disposição duas vezes, sendo a última após o empate com o Operário, por 1 a 1. Geninho não conseguiu repetir o desempenho do passado, quando obteve os acessos à Série A em 2014 e 2018, além de ter sido campeão catarinense em 2019.

Ainda sem substituto para Geninho, o Avaí se prepara para encarar a líder Chapecoense na terça-feira, às 21h30, na Ressacada, em Florianópolis, pela 27ª rodada.

Assuntos