Região Metropolitana

Previdência complementar é apresentada a secretários e gestores da Grande Curitiba

O Presidente da CuritibaPrev, José Luiz Costa Taborda Rauen, no encontro metropolitano de secretários de administração e finanças
O Presidente da CuritibaPrev, José Luiz Costa Taborda Rauen, no encontro metropolitano de secretários de administração e finanças (Foto: Hiuly Paiva / SMCS)

O presidente da CuritibaPrev – Aprev do Servidor, a Fundação de Previdência Complementar do Município de Curitiba, José Luiz Costa Taborda Rauen, falou aos representantes dos 22 municípios que participaram, na manhã desta sexta-feira (22/10), do Encontro Metropolitano de Secretários de Administração Pública e Finanças. O evento do Programa de Desenvolvimento Produtivo Integrado da Região Metropolitana de Curitiba (Pró-Metrópole) foi realizado no Salão de Atos do Parque Barigui.

Rauen enfatizou que a Aprev do Servidor é uma solução pronta para as prefeituras de todo o país, que terão que oferecer a opção da previdência complementar aos seus servidores, a partir de novembro, conforme estabeleceu a Emenda Constitucional 103/2019 – a Reforma da Previdência. A adesão dos servidores pode ser feita de forma on-line e as prefeituras contam ainda com equipes de consultoria presencial.

Especialista na área previdenciária há 40 anos, Rauen ressaltou que a previdência complementar da Aprev foi criada para servidores, o que a diferencia de diversos produtos semelhantes oferecidos por instituições financeiras.

“E garantimos proteção previdenciária patrocinada aos que têm salário menor do que o teto da previdência (R$ 6.433,57). Isso é valorização da carreira pública. A previdência complementar não deve ser um privilégio apenas para os que ganham mais que o teto”, afirmou, ao destacar ainda que o dinheiro acumulado pertence ao servidor, está vinculado ao seu CPF.

Ele acrescentou que a Fundação não aplica taxa de carregamento, apenas taxa de administração.

“Estamos participando de mais de 50 processos de seleção. Estamos estruturados do ponto de vista de planejamento e de sistemas e contamos com profissionais altamente preparados para a gestão de investimentos. Garantimos a sustentabilidade do sistema em médio e longo prazos”, completou.

O presidente apresentou aos gestores municipais simulações com diferentes faixas de salário, para que pudessem comparar o modelo de previdência atual, exclusivo do regime próprio, com o modelo híbrido, no qual o servidor se mantém no regime próprio, obrigatório a todos os estatutários, e constrói paralelamente a sua poupança previdência por meio da previdência complementar.