Publicidade
Na Band

Primeiros colocados nas pesquisas, Cida Borghetti e Ratinho Jr viram alvo no debate

Adversários cobram governadora e deputado do PSD por participação no governo Beto Richa
Primeiros colocados nas pesquisas, Cida Borghetti e Ratinho Jr viram alvo no debate
Debate na Band TV, ontem: no primeiro confronto, "todos" contra Cida Borghetti e Ratinho Júnior (Foto: Franklin de Freitas)

No primeiro embate direto da eleição estadual, a governadora Cida Borghetti (PP) e o deputado Ratinho Júnior (PSD) se tornaram os alvos principais dos questionamentos dos candidatos ao governo do Paraná, ontem, na Band TV. Cida e Ratinho Jr foram cobrados pelos adversários por suas participações no governo Beto Richa, em especial pelo episódio de 29 de abril de 2015, quando mais de 200 pessoas ficaram feridas em confronto entre policiais e professores em greve no Centro Cívico. Ambos reagiram tentando se 'descolar' do tucano e se eximirem de responsabilidade pelos conflitos entre a gestão Richa e os servidores públicos.  

O debate começou com os candidatos respondendo porque merecem o voto dos paransenses. O candidato do MDB, deputado federal João Arruda, partiu logo para o ataque, se apresentando como único representante de oposição, contra Cida e Ratinho Jr. “Eu mereço o voto dos paranaenses porque o Paraná parou no tempo. Eu sou o verdadeiro candidato de oposição”, disse, lembrando que a governadora foi vice de Richa e o deputado do PSD, secretário do Desenvolvimento Urbano na administração tucana. “Eles são políticos profissionais. Eu pago minhas contas, criei minhas três filhas com meu salário de professor”, disse o candidato do PSOL, professor Piva. 

Cida reagiu evitando o confronto direto, e destacando o fato de ser a única candidata mulher da disputa. “Eu quero o seu voto para trazer o olhar feminino, o olhar da mulher, com responsabilidade”, alegou. 

Ratinho Jr, por sua vez, procurou logo na primeira fala reafirmar a condição de representante do “novo” na política. “O Paraná tem sido governado há 30 anos por duas ou três famílias. Que nós respeitamos, fizeram a sua parte. Mas chegou a hora de fazermos uma ruptura”, defendeu. 

Em seguida, com a abertura para as perguntas entre os candidatos, João Arruda confrontou novamente o deputado do PSD e a governadora. “Acho engraçado essa história de ruptura”, ironizou, afirmando que tanto Ratinho Jr quanto Cida “governaram junto com a família Richa nos últimos oito anos”. A estratégia foi reforçada pelo candidato do PT, Dr Rosinha. “Você gosta de se apresentar como o candidato da mudança, novo, jovem. Eu não concordo. Diz que sempre as mesmas famílias governaram o Estado e o senhor fez parte do governo. Estava até há pouco no governo”, destacou. 

Questionada por Arruda sobre os critérios para a nomeação de secretários no governo Richa, Cida saiu pela tangente. “Eu não participei, não fui consultada para a composição do secretariado”, alegou ela. 

Camburão - O professor Piva foi o primeiro a citar o episódio de 29 de abril, perguntando a Ratinho Jr como ele se sentia em ser conhecido como “o pai da bancada do camburão” e dizendo que Cida seria a “mãe”, em referência ao episódio em que deputados da base do governo Richa entraram na Assembleia Legislativa em um caminhão blindado da polícia militar, para tentar votar medidas de ajuste fiscal propostas pelo tucano. “Eu nunca ouvi isso. A minha bancada sempre teve liberdade para votar como quisesse. Tanto que o meu suplente (Evandro Araújo, do PSD) votou contra o ajuste fiscal. Eu nunca coloquei cabresto nos deputados”, alegou Ratinho Jr. “Eu quero lembrar que eu era secretário da Pasta do Desenvolvimento Urbano, que não tem nada a ver com educação”, reforçou. “Eu não compactuo com nenhuma violência”, rebateu Cida. 

Cobrada pelo congelamento dos salários dos servidores públicos em pergunta do candidato do PT, Dr Rosinha, a governadora afirmou que agiu “com responsabilidade” ao oferecer reajuste de 1% para o funcionalismo. “Recebi o orçamento prevendo 0%”, disse Cida, alegando ter herdado o congelamento salarial de Richa. 

João Arruda é criticado por apoio a governo Temer

Se Cida Borghetti e Ratinho Júnior foram cobrados por suas participações no governo Beto Richa, o candidato do MDB, deputado federal João Arruda, foi questionado por seu apoio às propostas do governo do presidente Michel Temer (MDB) no Congresso. Os questionamentos vieram dos candidatos do PT, Dr Rosinha e do PSOL, professor Piva, que em uma espécie de “debate paralelo” ao confronto do emedebista com a governadora e o candidato do PSD, demonstraram a disposição de disputar com Arruda a condição de candidatos de oposição no Estado. 

“O deputado (João Arruda) representa aqui o presidente golpista Michel Temer. O deputado votou pela reforma trabalhista. Se ele implementar aqui o que o governo Temer, do ladrão Geddel Vieira Lima, nós vamos sentir saudade do Beto Richa”, ironizou Piva. “A reforma trabalhista teve avanços importantes. O que prejudicava a população eu votei contra”, rebateu o emedebista. “Ele (Arruda) quer fugir do debate, mas ele é base de apoio ao Temer, inclusive votando para que o Temer não fosse investigado”, lembrou Rosinha. “Eu acho que você e o Piva estão me agredindo para colocar no segundo turno dois candidatos do Beto Richa”, reagiu Arruda. 

Transporte - O candidato do MDB usou então uma pergunta para o do PSOL sobre o subsídio do Estado para o transporte coletivo da região metropolitana de Curitiba, no governo Richa, durante a gestão do ex-prefeito Gustavo Fruet (PDT), para retomar o cofronto com Ratinho Jr. “Quem assinou o termo que cancelou o termo de encerramento do convênio foi o Ratinho Jr que diz que o governo do Paraná foi governado por duas famílias. Mas ele também governou”, argumentou, referindo-se ao fato de que Ratinho Jr era o secretário do Desenvolvimento Urbano quando o subsídio foi cortado. A Coordenadoria da Região Metropolitana de Curitiba (Comec), que administra o transporte coletivo na RMC é subordinado à Pasta. 

Rosinha aproveitou a deixa para chamar Ratinho Jr de Beto Richa ao perguntar sobre investimentos nas universidades. “O senhor com barba branca fazendo esse tipo de brincadeira?”, reagiu o deputado do PSD. “As barbas brancas ensinam que no humor e na ironia há verdade. E a verdade é que o seu discurso é igualzinho (ao de Richa)”, respondeu Rosinha. 

“Eu nunca ouvi isso. A minha bancada sempre teve liberdade para votar como quisesse. Tanto que o meu suplente votou contra o ajuste fiscal. Eu nunca coloquei cabresto nos deputados”
Ratinho Júnior (PSD)

“Recebi o orçamento prevendo 0% (de reajuste salarial para os servidores). Reabri a discussão e chegamos a 1%. ”
Cida Borghetti (PP)

 “(Ratinho Jr) diz que sempre as mesmas famílias governaram o Estado. O senhor fez parte do governo. Estava até há pouco no governo”
Dr Rosinha (PT)

“Como se sente em ser conhecido entre professores como o 'pai da bancada do camburão'?. Aliás a Cida é a mãe do camburão”
Professor Piva (PSOL)

“A reforma trabalhista teve avanços importantes. O que prejudicava a população eu votei contra”
João Arruda (MDB)

“Acredito que a polícia tem que definitivamente baixar o relho em vagabundo”
Ogier Buchi (PSL)

DESTAQUES DOS EDITORES