Protesto

Professores completam 24 horas de greve de fome

Professores e funcionários em greve de fome
Professores e funcionários em greve de fome (Foto: Divulgação/APP-Sindicato)

Após 24 horas de greve de fome, a APP-Sindicato monitora as condições de saúde dos grevistas. Segundo a direção da entidade, foi disponibilizado uma unidade móvel de atendimento, com socorristas, para que a integridade dos trabalhadores em jejum seja monitorada.

Ainda de acordo com o Sindicato, estudantes, pessoas do grupo de risco (hipertensos, diabéticos e outras comorbidades) foram dispensadas da greve para que pudessem cuidar de sua condição. No momento, 29 educadores continuam resistindo até que o governador Ratinho revogue a prova para o Processo Seletivo Simplificado (PSS).

A APP-Sindicato enfatiza que, caso os trabalhadores passem mal durante o ato, o grevista será atendido na unidade móvel e, se necessário, encaminhado para uma unidade de pronto atendimento.

"Ainda não há reposta do governo sobre os temas da pauta. Uma reunião realizada ontem (19) retomou o debate sobre a suspensão do Edital 47 sobre contratação de professores temporários, entre outros assuntos. O chefe da Casa Civil, Guto Silva, assumiu o compromisso de conversar com o restante do governo e dar uma resposta, o que é aguardado", informou a APP.

Na quinta-feira, o Governo do Estado informou na noite desta quinta (19) que retomou as negociações com lideranças da APP-Sindicato - clique aqui para saber mais.