Publicidade
Greve

Professores e funcionários da rede estadual param por tempo indeterminado

(Foto: APP-Sindicato)

Os professores e funcionários da rede estadual de ensino do Paraná começaram nesta segunda-feira, 2, uma greve por tempo indeterminado. A paralisação foi aprovada pela categoria em assembleia realizada em 22 de novembro, conforme Hermes Leão, presidente da APP-Sindicato, responsável pela representação da classe no Estado. 

Após deflagrar greve, em assembleia estadual, realizada no dia 22, a categoria se une aos demais servidores públicos para derrubar a PEC elaborada pelo governo estadual. Já no dia 3, o funcionalismo da educação participará da mobilização estadual convocada pelo Fórum das Entidades Sindicais (FES). O ato tem início a partir das 8h30, com concentração na Praça do 19 de Dezembro. Já às 16h, após a mobilização, a categoria se reúne em uma assembleia, em frente ao Palácio Iguaçu, para avaliar os próximos passos do Sindicato

Segundo a APP, com o modelo do governo, os servidores perderam 3% dos salários com o aumento da alíquota de 11% para 14%. O reajuste proposto pelo governo é de 2%. No final, as categorias perdem 1% de poder de compra. Isso inclui os já aposentados, que pagarão 14% sobre o que passar de dois salários mínimos.

Para os pais a orientação é que busquem saber se a escola onde o filho estuda houve a adesão a greve da categoria.

O governo do estado encaminhou uma nota de esclarecimento afirmando que a nova previdência do servidor públido do Paraná segue a legislação aprovada no Congresso Nacional.


Leia a nota da íntegra

A nova previdência do servidor público do Paraná segue rigorosamente a legislação aprovada no Congresso Nacional, após ampla discussão com os mais diversos setores da sociedade.

Não se trata, portanto, de uma decisão casuística e sim de cumprir a obrigação de atualizar o marco legal dos regimes próprios de previdência dos Estados, adotando o novo preceito constitucional brasileiro.

No Paraná, a medida contribui para estancar o crescimento do deficit já existente para o pagamento de aposentadorias e pensões. Neste ano, a insuficiência financeira do sistema será de R$ 6,3 bilhões. O valor é superior ao orçamento do Estado para a área de saúde.

Ao mesmo tempo, a proposta do Governo do Estado capitaliza e fortalece o Fundo de Previdência.

As projeções mostram que em cinco anos o fundo vai retomar a capacidade financeira e em até 30 anos será autossuficiente. Com isso, ficam plenamente assegurados os pagamentos dos benefícios aos servidores.

O projeto de reforma da previdência cumprirá todo o rito legal na Assembleia Legislativa, fórum adequado para o debate a respeito da proposta, conforme já demonstrado na tramitação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) no âmbito federal.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES