Publicidade
Coronavírus

Profissionais do Coritiba monitoram à distância treinos físicos dos jogadores

CT da Graciosa
CT da Graciosa (Foto: Divulgação/Coritiba)

O elenco coxa-branca completou uma semana em restrição domiciliar, mas nem por isso os profissionais do clube, do setor de performance, deixam de estar atentos às atividades. Nesse período de pandemia do coronavírus, os atletas têm recebidos orientações para manutenção de atividades, tanto aqueles que estavam realizando trabalhos de recuperação como os demais. Tudo começou com uma conversa, na última terça-feira, na qual as principais frentes dos profissionais envolvidos passaram uma série de orientações a respeito das atividades neste período.

"Assim que a gente ficou sabendo que haveria a interrupção de treinamentos e jogos, todo o departamento de performance começou a pensar, desde os atletas que estão no DM e em transição. A ideia inicial foi separar alguns materiais da academia, higieniza-los, e solicitar para que o clube entregasse a cada um deles para a continuidade da reabilitação", explica Adriano Tambosi, coordenador de performance alviverde."Eles (os atletas) receberam a programação semanal individual para essa continuidade, e todos os profissionais, fisioterapeutas, fisiologista, nutricionista, preparadores físicos, mantém contato diário com esses atletas", complementa.

Todos os atletas receberam orientações de maneira personalizada e individualizada. "O Coritiba disponibilizou parte do material que estava na academia, o que nos ajuda no trabalho de manutenção e talvez até de algum ganho com esses atletas nesse período. Além disso, tivemos um suporte com artes que podem ilustrar bem as atividades, baseado em uma biblioteca de exercícios que já vinha sendo executada desde o ano passado", diz Adriano.

Com atividades segmentadas a todo o grupo, a fisiologia do clube também segue atenta aos trabalhos, monitorando os atletas via contato diário. "O controle é realizado com base no treinamento proposto para cada atleta, por meio da resposta de escala de percepção de esforço e questionários de controle enviados por aplicativo que os atletas têm acesso via telefone celular", explica Luiz Novack, fisiologista coxa-branca. "Além disso, alguns atletas são monitorados por meio de aparelhos que medem os batimentos cardíacos, chamados de frequencímetros, os quais permitem medir indicadores de intensidade e queima de calorias", completa.

"Destaco a integração entre os diversos setores que compõe a Comissão Técnica do Clube. Um exemplo disso é o envio de informações das cargas de treino ao setor de nutrição para a adequação da dieta de alguns atletas", termina.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES