Saúde Coletiva

Projeto de extensão da UFPR orienta sobre descarte correto de medicamentos

(Foto: Freepik)

Na Universidade Federal do Paraná (UFPR), inúmeros trabalhos e pesquisas desenvolvidos nos cursos de graduação e nos programas de pós têm como foco a discussão e a promoção da saúde e da preservação ambiental. Há também as ações extensionistas. Entre elas, o projeto de extensão Educação em Saúde Ambiental (ESA), coordenado desde o início de 2018 pela professora Cristiane da Silva Paula de Oliveira, do Departamento de Saúde Coletiva.

Orientar a população sobre o descarte correto dos medicamentos vencidos ou em desuso – em farmácias que disponham de coletores – é o principal objetivo do ESA. “Por tratar-se de produto com compostos que podem contaminar o meio ambiente, a proposta de uma coleta diferenciada e encaminhamento para tratamento e destinação final ambientalmente corretos tomou força no município”, celebra a coordenadora do projeto.

Seis alunas dos terceiro e quarto períodos do curso de Farmácia e professoras que ministram disciplinas na graduação participam e auxiliam nas atividades. Ao todo, são dez integrantes. Na visão de Jéssica Cristina Pereira Borges, de 19 anos, atuar no projeto é uma experiência enriquecedora que tem reflexos na formação pessoal e profissional dos extensionistas. A jovem destaca a importância das ações para orientação da comunidade.

“Divulgar conteúdos sobre descarte correto de resíduos, sustentabilidade e consumo consciente permite aproximar o conhecimento que adquirimos na graduação da população em geral, e entendermos, desde já, nossa responsabilidade como futuros profissionais da saúde”. A farmacêutica em formação acredita que, com informação e atitudes condizentes, é possível fazer de onde vivemos um lugar melhor.

A história do ESA

O ESA foi criado com base no “Projeto-piloto para descarte de resíduos de medicamentos domiciliares no município de Curitiba”, proposto em 2013 e desenvolvido em conjunto pela secretarias municipais de Saúde e de Meio Ambiente de Curitiba, pelo Departamento de Design da UFPR, pelo Conselho Regional de Farmácia do Paraná, pelo Sindicato dos Farmacêuticos do Estado do Paraná e apoiadores.

A finalidade do piloto: incentivar a participação voluntária de farmácias para receberem medicamentos vencidos ou em desuso que eram, com frequência, descartados incorretamente pela população no lixo comum ou na pia de casa, explica Cristiane.

A participação da Universidade, inicialmente, ocorreu por meio do Departamento de Design, com atuação da professora Carla Spinillo e de alunos que desenvolveram materiais gráficos e peças publicitárias. Na segunda etapa, outros departamentos da Universidade passaram a contribuir por meio de com ações educativas.

A ideia de um projeto de extensão voltado para crianças surgiu em 2015, inspirada no piloto desenvolvido. Fizeram parte desse movimento a docente Dulce Dirclair Huf Bais, do Setor de Educação, e as professoras Camila Klocker Costa, Deise Prehs Montrucchio e Josiane de Fátima Gaspari Dias, do Departamento de Farmácia. A professora Carla, alunos bolsistas dos cursos de Farmácia e Design e da Pós em Ciências Farmacêuticas também participaram.

Orientação para adultos e crianças

Antes da suspensão das aulas em decorrência da pandemia de Covid-19, graduandos e docentes do projeto promoviam atividades com alunos de escolas municipais de Curitiba, de 3ª a 5ª séries. Após assistir a uma palestra com informações sobre medicamentos, o grupo era conduzido a um jogo de tabuleiro chamado Trilha da Saúde.

Os pequenos respondiam a perguntas durante a apresentação e, no momento da brincadeira, reforçavam o aprendizado. A coordenadora do ESA explica que as crianças atuam indiretamente como disseminadoras dos conhecimentos, ao transmiti-los aos pais ou responsáveis.

A ação já foi realizada com cerca de 1.400 estudantes da rede de ensino municipal, informa Cristiane. Locais recomendados para armazenar medicamentos em uso, prazos de validade e motivos pelos quais não é correto o descarte no lixo comum, na pia ou no vaso sanitário. Essas e outras informações foram repassadas nos encontros promovidos nas escolas. Os integrantes do ESA reforçam ao público infantil a ideia de que é o adulto da casa que deve manusear o medicamento e fazer o descarte adequado.

Ações durante a pandemia

Em 2020, devido à pandemia, as atividades do ESA ficaram restritas à modalidade remota. Para o público adulto, pelas redes sociais. Para os pequenos, por meio da elaboração de materiais informativos, como cartilhas com historinhas e passatempos. Além de recomendações para o procedimento de descarte de medicamentos, são trabalhados assuntos relacionados à saúde ambiental, como coleta seletiva e sustentabilidade. Um blog do projeto de extensão está em construção e abordará temas relacionados à saúde ambiental, como água potável e resíduos.

A pedido da Secretaria Municipal de Educação, parceira das atividades, uma palestra sobre descarte correto de medicamentos, ministrada por integrantes do projeto da UFPR, será transmitida em formato de vídeo-aula para estudantes do 6º ao 9º ano do ensino fundamental. De acordo com Cristiane, a previsão é de que a gravação ocorra nas próximas semanas. O vídeo será disponibilizado posteriormente no canal TV Escola Curitiba, no YouTube.