Publicidade
Gente de bem

Projeto na Grande Curitiba ensina crianças vulneráveis a fazer arte

Toto Lopes ‘fazendo arte’ com um de seus alunos
Toto Lopes ‘fazendo arte’ com um de seus alunos (Foto: Franklin de Freitas)

Nascido em Campo Largo, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), Tanielton Lopes Pereira é uma prova do poder transformador da arte. Oriundo de uma família humilde, teve seus primeiros contatos com o mundo artístico ainda na infância, participando de projetos sociais. Ali, viu o que queria ser quando crescesse. A arte corria em suas veias. E hoje é a sua vida – uma vida dedicada a fazer o bem, ajudar o próximo. Uma vida para fazer arte.

Aos 39 anos, Toto Lopes, como é conhecido, dedica-se há mais de 15 a desenvolver projetos sociais em que a arte sirva como instrumento de transformação social para crianças e adolescentes que vivem em regiões carentes da RMC. Um desses projetos é o “Fazendo Arte”, que atende 80 crianças na região do Jardim Meliane, em Campo Largo, numa oficina de artes plásticas patrocinada pela Companhia Campolarguense de Energia (Cocel).

“O que me motiva é que eu fui menino de projeto, e ali a minha vida mudou. Trabalhei já em comércio, mas sempre levei a arte em paralelo e graças a Deus consegui usar a arte como ferramenta social e também como ganha pão”, conta o artista plástico. “Hoje sou uma pessoa muito feliz por fazer o que eu gosto de fazer e principalmente por ajudar as pessoas, que é o que mais me agrada. Sempre fui voluntário porque na minha vida sempre fui ajudado por outras pessoas, e hoje eu tento retribuir tudo o que me foi dado.”

O projeto “Fazendo Arte” é desenvolvido no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) do Jardim Meliane e atende crianças na faixa etária de 7 até 14 anos de idade. No projeto, inicialmente previsto para durar seis meses, os jovens estão aprendendo a fazer arte em shapes de skate. A ideia, explica Toto, é mostrar uma possibilidade de futuro para essas crianças e adolescentes, até porque há em Campo Largo duas fábricas de shape.

“Fiz o projeto já pensando na região, que é bem precária em todos os sentidos. As crianças precisam muito desse aconchego, de trazer algo inovador, que chame a atenção delas e possa ajudar até na questão do futuro. A gente vê a arte como uma ferramenta de transformação social, então a ideia é trazer as crianças do bairro e mostrar para eles que o mundo pode ser diferente, que a gente pode fazer um mundo melhor”, afirma Toto. Coordenadora do Cras Jardim Meliane e há 15 anos funcionária da Prefeitura de Campo Largo, Fernanda Bathke, 37 anos, é testemunha da força transformadora da iniciativa. “Traz um impacto muito positivo no sentido de colaboração, respeito com os colegas. Aqui eles veem e vivem coisas diferentes. Estamos numa região bem violenta, que convive com o tráfico de drogas, e trazemos as oficinas para eles poderem vivenciar outras coisas. Ajuda na escola, no comportamento deles.”

Museu recebe exposição do ‘Fazendo Arte’ em novembro

Entre os dias 18 e 30 de novembro o Museu Histórico de Campo Largo fará uma exposição com os trabalhos das crianças que participam do projeto “Fazendo Arte”, dando a oportunidade de cada um dos 80 participantes do projeto apresentarem suas artes em shapes de skate. Segundo Toto Lopes, essa provavelmente será a primeira exposição desse tipo, com artes em shapes de skate, a ser realizada.

“Eles estão muito empolgadas, primeiro porque a maioria nunca viu uma exposioção e segundo porque a maioria nem sabe o que é uma exposição direito. Tendo essa experiência, para eles isso vai ser muito marcante. São essas pequenas coisas que marcam na vida deles e que transformam a vida da gente. Com certeza vão levar isso pro resto da vida, essa exposição, o sentimento de estar sendo visto... E lá eles vão ter bastante visibilidade, muita gente vai ver a exposição”, comenta Toto.

Fazendo Arte
O que é: Um projeto desenvolvido no Jardim Meliane, em Campo Largo, que tem como objetivo levar e ensinar a arte para crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social.
Como funciona: Com patrocínio da Cocel e duração prevista para seis meses, a iniciativa atende 80 crianças em situação de vulnerabilidade. Neste primeiro momento, os jovens estão aprendendo a fazer arte em shapes de skate, com o objetivo até de lhes mostrar a possibilidade de fazer renda por meio da arte no futuro.
Página do projeto no Facebook: @fazendoarteprojeto
Mais sobre o trabalho e projetos sociais do Toto Lopes: www.totoartes.com.br

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES