Na Câmara municipal

Projeto que proibe consumo de bebidas alcoólicas na rua gera polêmicas 

(Foto: Ernani Ogata)

Começou a tramitar na Câmara Municipal, na semana passada,  um projeto de lei que propôe proibir o consumo de bebidas alcoólicas nas ruas de Curitiba durante a madrugada. De autoria da vereadora Julieta Reis (DEM), a proposta proíbe o consumo entre 2h da madrugada e 8h da manhã. “São muitas reclamações do pessoal da Praça Espanha. Toda hora. Teve até tiroteio na semana passada. Cansei das reclamações e resolvi apresentar o projeto”, disse a vereadora, em entrevista ao Bem Paraná. A prática é comum não só na Praça Espanha, mas também na Rua Vicente Machado, na  Trajano Reis e perto do Shopping Hauer, no Batel. 
 “Para erradicar, ou ao menos buscar a diminuição dos impactos sobre a sociedade, a proposta visa à proibição do consumo de bebidas alcoólicas nos logradouros públicos pertencentes ao Município, entre as 2h (duas horas) e 8h (oito horas). Ressaltamos que o consumo poderá ocorrer normalmente dentro dos estabelecimentos e propriedades particulares”, diz o projeto. 
O projeto agora deve passar pelas comissões da Câmara antes de ser levado a plenário. Na semana que vem, os vereadores se reunirão com representantes da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel).
Fabio Aguayo, presidente do Sindicato das Empresas de Gastronomia, Entretenimento e Similares do Município de Curitiba (Sindiabrabar), informou que vai contestar com pareceres na tramitação na Câmara e ações na Justiça estadual para declarar inconstitucional o Projeto de lei que restringe o consumo de bebidas alcoólicas em logradouros públicos em Curitiba. “Nós temos uma ação tramitando no Tribunal de Justiça  contra a lei semelhante aprovada em Londrina, por isso aqui vamos trabalhar para que o PL seja arquivado pela inconstitucionalidade da matéria. Ainda assim vamos conversar com a vereadora e mostrar outras soluções”, disse ele, em entrevista ao Bem Paraná.  “A realidade é bem pior do que a vereadora imagina, se fosse simplesmente pela cervejinha, chopinho ou famoso tubão os problemas estariam resolvidos com essa medida, mas infelizmente os locais estão infestados de pessoas que não vão ali para beberem depois do horário determinado e sim para cometer outros atos ilícitos”, diz “Os comerciantes das regiões da Praça Espanha, Shopping Hauer, Vicente Machado, Itupava e Largo da Ordem clamam por policiamento e consideração pelos verdadeiros clientes e não os que ficam no entorno cercando eles para oferecer drogas ou roubá-los”, afirmou Aguayo.