Publicidade
Últimos dias

Proprietários de terras preservadas podem receber recompensa financeira

(Foto: Prefeitura de Piraquara / Bruno Oliveira )

Termina no dia 6 de junho o prazo de inscrição para o edital Manancial Vivo. Por meio dele, proprietários de áreas naturais localizadas próximas ao Reservatório Piraquara I, na Região Metropolitana de Curitiba, poderão receber uma recompensa financeira em troca da preservação ambiental do local.

Como grande parte das áreas naturais que contornam o reservatório está dentro de propriedades particulares, o Pagamento por Serviços Ambientais (PSA) é uma forma eficiente de garantir que a preservação do local seja tratada como prioridade pelos donos das terras. Segundo o coordenador de Soluções baseadas na Natureza da Fundação Grupo Boticário, Renato Atanazio, a proposta reflete diretamente na otimização da qualidade da água de um dos principais mananciais que abastece Curitiba. “Os benefícios da preservação vão muito além da recompensa financeira. Manter as áreas verdes próximas do reservatório ajuda a filtrar os sedimentos que seriam despejados diretamente na água, o que melhora a qualidade hídrica do local. As áreas naturais também ajudam a reter água, garantindo o recurso em períodos de estiagem”, explica.

O edital é uma iniciativa da Prefeitura Municipal de Piraquara, da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, da Sanepar, da Fundação Grupo Boticário, da SPVS e do poder legislativo municipal e o Conselho Municipal de Meio Ambiente. A ação começou a ser desenhada em 2014 com apoio da iniciativa Oásis, criada pela Fundação Grupo Boticário, para incentivar e promover a valorização dos ambientes naturais por meio de mecanismos de incentivo econômico a proprietários que se comprometam com a conservação de áreas naturais e a adoção de práticas conservacionistas de uso do solo.

Os interessados em participar do projeto precisam comparecer à Prefeitura de Piraquara para realizar a inscrição e, caso selecionados, poderão receber de R$ 81,30 a R$ 650,40 por hectare de área natural preservada. Ao todo, R$ 750 mil serão disponibilizados, em três anos de projeto.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES