Assine e navegue sem anúncios [+]

Quadrilha que pescou 70 ton de peixe em 4 meses é presa

Investigação do Escritório Regional de Paranavaí do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) e a Polícia Federal, em Maringá, resultou na prisão de cinco pescadores ilegais no Rio Paranapanema, em Diamante do Norte, no Noroeste do Estado. Dois suspeitos continuam foragidos, mas já com mandado de prisão expedido. 

A Operação Predador começou no ano passado, teve seus resultados divulgados nessa quinta-feira (3) e mostrou a forma como os infratores agiam de madrugada para pescar em locais proibidos. Eles capturavam peixes a menos de 100 metros das comportas da Usina Hidrelétrica de Rosana, na divisa do Paraná com São Paulo, o que é proibido. Os detidos também usavam materiais não permitidos, como redes e tarrafas. 

Era uma quadrilha criminosa que atuava em limites proibidos, além disso tinha uma estrutura de olheiros que alertavam para qualquer força de repressão que atuava na área ou movimentação estranha. Além dos crimes ambientais, os criminosos vão responder por formação de quadrilha, explicou o delegado da Polícia Federal, Alexsander Dias. 

TONELADAS - De acordo com a Polícia Federal, a quadrilha pescou cerca de 70 toneladas de peixes em quatro meses. Nós nos deparamos com a situação durante trabalho rotineiro de fiscalização. Por ser um esquema muito bem organizado e planejado solicitamos apoio da Polícia Federal, pois o rio divide dois estados, explicou o chefe regional do IAP em Paranavaí, Mauro Braga. 

Além das prisões e do processo criminal, os pescadores também responderão por processos administrativos do órgão ambiental estadual. Um deles estava com 200 quilos de pescado, dois barcos e um motor e foi autuado no valor de R$ 3.600. O material foi todo apreendido. 

Para o presidente do IAP, o trabalho realizado pelos fiscais do órgão na região precisou de cautela e é um exemplo a ser seguido. O trabalho em conjunto com a Polícia Federal foi muito bem feito, com calma e cuidado. É mais um exemplo de que o órgão continua firme, trabalhando para que todos preservem o que é de direito de todos, o meio ambiente, explicou Luiz Tarcísio Mossato Pinto. 

PÁSSAROS – Na mesma operação, a equipe de fiscalização também encontrou na casa de um dos pescadores sete aves silvestres. Nesse caso, foi lavrado um auto de infração ao criminoso no valor total de R$ 3.500.

Assine e navegue sem anúncios [+]

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. OK