Covid-19

Quase 100 mil pessoas não apareceram para tomar a segunda dose em Curitiba

Quem pode e ainda não tomou a segunda dose, deve procurar  um posto de vacinação em Curitiba com urgência
Quem pode e ainda não tomou a segunda dose, deve procurar um posto de vacinação em Curitiba com urgência (Foto: Franklin de Freitas)

Curitiba tem quase 100 mil pessoas que não compareceram para tomar a segunda dose da vacina contra a Covid-19. Segundo levantamento da Secretaria Municipal da Saúde, até o dia 15 de outubro, 95.644 pessoas não compareceram para completar a imunização. O número representa 7,8% do total de 1.223.845 usuários que deveriam ter se vacinado com a segunda dose na cidade. Quem vai ao posto de vacinação para tomar a primeira dose já sabe quando precisa retornar para completar a imunização. A data de retorno normalmente é anotada no próprio cartão de vacina.

Em todo o Brasil, mais de 20 milhões de pessoas ainda não voltaram aos postos para completar o esquema vacinal contra a Covid-19, informou o Ministério da Saúde na última quinta-feira. O levantamento considera apenas casos em que o prazo estipulado para a segunda dose já venceu. Se todos tivessem cumprido o prazo, o Brasil teria mais de 80% do público-alvo (12 anos ou mais) completamente vacinado, segundo o Ministério.

O dado é preocupante, já que o avanço da vacinação vem garantindo a queda no número de casos, internações e mortes. Levantamento feito pelo Bem Paraná mostrou que, à medida que a vacinação avançava em Curitiba, o número de leitos de UTI do SUS exclusivos para o tratamento da Covid diminuía. Em 11 de junho, a cidade contava com 548 leitos, o maior número durante a pandemia, e todos ocupados. Em quatro meses, o número de leitos caiu pela metade. Na última sexta-feira, a cidade tinha 235 leitos exclusivos e 131 deles estavam livres.

De acordo com os últimos boletins epidemiológicos divulgados pelo governo federal, a média móvel de óbitos registra uma queda de 87% se comparado com o pico da pandemia, em março e abril deste ano. Já o boletim do Observatório Covid-19 Fiocruz, divulgado na quinta-feira, aponta para a continuidade da redução da transmissão no país, com queda do número de mortes e casos graves. Na semana de 10 a 16 de outubro, período analisado no levantamento, 25 estados brasileiros e 23 capitais estavam fora da zona de alerta, a maioria com patamares inferiores a 50% dos leitos de UTIs destinados ao tratamento da covid.

Com o atraso da vacinação de parcela da população e a circulação de pessoas, que volta a níveis semelhantes ao do período pré-pandemia, o receio dos pesquisadores é que os números voltem a subir. “A manutenção do atual patamar de transmissão não permite afirmar que a pandemia está definitivamente controlada. A impressão de que já vencemos a pandemia é enganosa”, diz o boletim da Fiocruz, que defende a adoção do passaporte vacinal.

“A flexibilização de medidas que protegem contra a transmissão do vírus deve ser adotada de forma cautelosa, paulatina e acompanhada de medidas de vigilância, conjugadas com a adoção do passaporte vacinal, além de testes para identificar rapidamente novos casos e seus contatos”.

Em comunicado, o Ministério da Saúde reforçou a importância da vacinação dentro do intervalo recomendado para cada imunizante. “Só assim as vacinas irão atingir a efetividade necessária contra a covid-19”, diz o comunicado da pasta.

Vacinação
Em Curitiba, 2.801.989 de unidades do imunizante foram aplicadas, sendo 1.464.245 primeiras doses, 1.232.938 segundas doses, 38.209 doses únicas e 66.597 doses de reforço. Da população total da cidade (estimada em 1.948.626 pelo IBGE), 77,1% já receberam ao menos uma dose da vacina e 65,2% estão totalmente imunizados contra a covid-19, com as duas doses ou a dose única.

Na sexta-feira, a Secretaria de Estado da Saúde recebeu mais 554.580 imunizantes da Pfizer/BioNTech. Foi a 60ª remessa do Ministério da Saúde e as doses são destinadas às segundas doses (D2) e dose reforço (DR). Desse total, 138.060 vacinas são para D2 de quem iniciou a imunização com D1 na 41ª remessa (em agosto) e 70.200 para completar o esquema vacinal da 42ª remessa (também agosto). O restante das doses (346.320) são para DR da população de 60 anos ou mais.

Previsão é vacinar 23,5 mil curitibanos nesta semana
Nesta semana, cerca de 23.528 mil moradores de Curitiba que receberam a primeira dose da vacina anticovid devem retornar aos pontos de vacinação para completar o ciclo de imunização com a segunda dose. A vacinação será realizada em 31 pontos da cidade com funcionamento das 8h às 17h (lista abaixo).

Com o recebimento da nova remessa de vacinas no sábado (23/10), a Secretaria Municipal da Saúde poderá seguir a recomendação do Ministério da Saúde e fazer antecipação da segunda dose da vacina contra covid-19 da Astrazeneca e da Pfizer. A nova recomendação é que o intervalo passe a ser de oito semanas.

Quem for convocado para esta antecipação receberá mensagem pelo aplicativo Saúde Já Curitiba, que deverá ser obrigatoriamente apresentada no momento da vacinação.
Não haverá envio de mensagem avisando a data da segunda dose de Coronavac, uma vez que não houve alteração do originalmente previsto. A data pode ser consultada no aplicativo Saúde Já Curitiba, no campo próximas vacinas (veja abaixo como consultar).
Com a nova remessa de 94.434 doses da vacina anticovid, recebida por Curitiba neste sábado (23/10), a Secretaria Municipal da Saúde irá retomar a aplicação das doses de reforço amanhã. Também haverá repescagem para adolescentes.
Quem não puder comparecer na data de aplicação da segunda dose marcada no aplicativo poderá procurar, depois, um dos pontos de vacinação para completar o ciclo de imunização.rmaria).

Boletins da Covid-19

Curitiba (sábado)
Novos casos 89
Mortes 6
Total
Casos 295.834
Mortes 7.712
Paraná (domingo)
Novos casos 746
Mortes 53
Total
Casos 1.538.812
Mortes 40.022
Brasil (domingo)
Novos casos 6.204
Mortes 187
Total
Casos 21.729.763
Mortes 605.644