Quase três anos após desastre, famílias ainda não conseguiram moradia

Em março de 2011, as enchentes que atingiram o litoral do Paraná deixaram 4.600 pessoas desalojadas ou desabrigadas. Quase três anos após o desastre, 87 famílias que perderam suas casas ainda não conseguiram moradia.

Segundo o governo, a demora é por conta das dificuldades na hora de encontrar áreas para construir as residências. Para piorar, no ano que vem a habitação terá um corte no orçamento: em 2013, recebeu R$ 529 milhões. Em 2014 receberá apenas 140 milhões, de acordo com o orçamento que está em discussão na Assembleia – uma redução de 73%.

Até agora, 136 casas já foram entregues em Paranaguá, Morretes e Antonina, a maior parte em agosto e outubro deste ano. Ainda faltam 87 residências, mas 52 sequer possuem previsão de conclusão.

Meta e déficit

Apesar da redução no orçamento, o governo tem como meta entregar 110 mil moradias até o fim do ano que vem. Atualmente, o déficit habitacional no Paraná é de 270 mil residências, na área urbana e rural.