Publicidade
Contra o isolamento

VEJA O VÍDEO: 'Quero que o povo se arme', diz Bolsonaro em reunião ministerial

Bolsonaro:" por isso eu quero que o povo se arme, a garantia de que não vai aparecer um filho da p... e impor uma ditadura aqui."
Bolsonaro:" por isso eu quero que o povo se arme, a garantia de que não vai aparecer um filho da p... e impor uma ditadura aqui." (Foto: reprodução/You tube)

Vídeo de reunião ministerial de 22 de abril divulgado hoje mostra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) defendendo que a população seja armada para resistir às medidas de isolamento social tomadas por governadores e prefeitos para o combate à pandemia do coronavírus.
O vídeo está no centro de um inquérito aberto no STF, a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), para apurar as declarações de Sergio Moro no dia em que pediu demissão do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

A divulgação do vídeo foi liberada hoje pelo ministro do Supremo Tribunal Federal, Celso de Mello

O ex-ministro Sergio Moro denunciou uma suposta interferência política de Bolsonaro na Polícia Federal com a exoneração do então diretor-geral Maurício Valeixo. O vídeo é considerado como uma das principais provas para sustentar a acusação feita por Moro de que o presidente tentou interferir no comando da PF e na superintendência do órgão no Rio, fatos esses investigados no inquérito relatado pelo decano do STF.

Na gravação, o presidente defende armar a população e afirmou que a população, quando armada, "jamais será escravizada". "Olha como é fácil impor uma ditadura no Brasil. Por isso eu quero que o povo se arme, a garantia de que não vai aparecer um filho da p... e impor uma ditadura aqui. A bosta de um decreto, algema e bota todo mundo dentro de casa. Se ele estivesse armado, ia para rua. Se eu fosse ditador, eu armava como fizeram todos no passado. Um puta de um recado para esses bostas: estou armando o povo porque não quero uma ditadura, não da para segurar mais. Quem não aceita."

Em outro trecho o ministro da Educação, Abraham Weintraub, dizque, por ele, e colocaria "vagabundos" na cadeia e diz que começaria pelo STF. "Eu, por mim, botava esses vagabundos todos na cadeia. Começando no STF. E é isso que me choca. Era só isso presidente, eu, eu realmente acho que toda essa discussão de 'vamos fazer isso', 'vamos fazer aquilo', ouvi muitos ministros que vi chegaram, foram embora. Eu percebo que tem muita gente com agenda própria. Eu percebo que tem, assim, tem o jogo que é jogado aqui, mas eu não vim pra jogar o jogo. Eu vim aqui pra lutar. E eu luto e me ferro. Eu tô com um monte de processo aqui no comitê de ética da presidência. Eu sou o único que levou processo aqui. Isso é um absurdo o que tá acontecendo aqui no Brasil. A A gente tá conversando com quem a gente tinha que lutar. A gente não tá sendo duro o bastante contra os privilégios, com o tamanho do Estado e é o ... eu realmente tô aqui -~o aberto, como cês sabem disso, levo tiro ... odeia ... odeio o partido comunista.", diz Weintraub.

Assista abaixo trecho do vídeo divulgado por Bolsonaro:

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES