Publicidade

Rafaela Silva é suspensa por 2 anos após ser pega no doping e vai recorrer à CAS

A Federação Internacional de Judô informou que a lutadora brasileira Rafaela Silva está suspensa por dois anos após ter sido pega no exame antidoping em agosto do ano passado, nos Jogos Pan-Americanos de Lima. Com a decisão, que chega há seis meses da Olimpíada de Tóquio, ela está fora da competição e não poderá buscar o bicampeonato - foi ouro no Rio, em 2016.

A atleta, que está com um novo advogado, vai entrar com recurso na Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês) para tentar ir ao Japão. A audiência ocorreu na última quarta-feira. Quem vai defendê-la é Marcelo Franklin, especialista neste tipo de caso. "Entrei no caso hoje (ontem) e ainda não recebi a íntegra do processo", disse ao Estado.

Em setembro do ano passado, a judoca chegou a se defender afirmando que a aparição na urina de fenoterol, substância presente em medicamentos contra a asma e capaz de melhorar o desempenho de um atleta, se deve à contaminação pelo contato com um bebê que tomava a medicação.

A Confederação Brasileira de Judô (CBJ) divulgou uma nota dizendo que prestará todo suporte para a atleta. "A Confederação Brasileira de Judô seguirá acompanhando os desdobramentos do processo legal referente ao caso de doping envolvendo a judoca da seleção brasileira, Rafaela Silva, com a confiança de que a justiça prevalecerá. Rafaela Silva é campeã olímpica e mundial, exemplo de superação dentro e fora dos tatames e um dos maiores ídolos do esporte brasileiro. A CBJ prestará o suporte que lhe couber e só se pronunciará novamente após a decisão final do processo".

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES