Publicidade
Exemplo

Ratinho Jr congela salários do primeiro escalão do governo

Ratinho Jr: Fazenda ainda não conseguiu levantar situação financeira
Ratinho Jr: Fazenda ainda não conseguiu levantar situação financeira (Foto: Franklin de Freitas)

O governador Ratinho Júnior (PSD) anunciou nesta terça-feira (8) o congelamento dos salários dele próprio, do vice-governador Darci Piana e dos secretários de Estado como nova medida de economia de sua administração. Segundo Ratinho Jr, o reajuste de 16,8% que elevou os salários dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) de R$ 33,7 mil para R$ 39,2 mil não será aplicado aos integrantes do primeiro escalão do Estado. De acordo com o governador, a economia com a medida será de R$ 600 mil mensais ou mais de R$ 7 milhões ao ano.

Os salários dos ministros do STF servem de teto salarial do funcionalismo público no País e também são parâmetro para definição dos salários do governador, vice e secretários. No caso do governador, o salário é equivalente aos dos ministros do Supremo. Já os dos secretários, atualmente, é de R$ 23.634,10, ou 70% do que recebe um ministro do STF.

O anúncio do congelamento foi feito antes da segunda reunião do secretariado do novo governo no Palácio Iguaçu. A medida impede, também, que o teto de salário entre os servidores passe dos atuais R$ 33 mil para R$ 39 mil. “Estamos emitindo um decreto. Não vamos dar aumento ao secretariado, nem ao cargo de governador, vice-governador e aos demais cargos que teriam o direito, vamos dizer assim, com esse reajuste que foi feito para os ministros do Supremo de 16%. Vamos evitar ter um gasto de R$ 600 mil por mês que dá um acumulado de mais de R$ 7 milhões ao ano”, afirmou Ratinho Jr.

No escuro
O governador confirmou também ontem que sua equipe está com dificuldades para levantar a situação financeira do Estado, em razão do problema no Sistema Integrado de Finanças Públicas do Estado da Secretaria da Fazenda, herdado de sua antecessora, a ex-governadora Cida Borghetti (PP). De acordo com ele, o governo anterior trocou o programa usado para alimentar o sistema, mas não conseguiu incluir todos os dados no software. Segundo Ratinho Jr a falta de acesso a esses dados impede que se confirme ou não a informação de Cida de que ela teria deixado R$ 400 milhões em caixa para a nova administração.

“A Fazenda não conseguiu em tempo hábil colocar todos os dados nesse software. Isso já vem acontecendo desde o ano passado. Isso está fazendo com que só 60% de toda a informação da Fazenda está dentro desse software. Então muitas das coisas acabam não tendo informação, data de vencimento de contas que tem que honrar, pagamento em duplicidade. Agora a nossa preocupação é poder fazer com que a gente possa alimentar esse software o mais rápido possível para que a gente não fique no escuro”, disse o governador, afirmando que a expectativa é resolver o problema até o final do mês. “Isso é muito ruim porque tem a prestação de contas para o Tribunal de Contas do quadrimestre e se não tiver toda a prestação de contas ali isso pode prejudicar o Estado”, lembrou Ratinho Jr. De acordo com o governador, uma força-tarefa da Secretaria da Fazenda está trabalhando para reverter a situação “o mais rápido possível”.

DESTAQUES DOS EDITORES