ELEIÇÕES

Ratinho Júnior antecipa alianças de olho em 2022

Ratinho Jr com o Cidadania
Ratinho Jr com o Cidadania (Foto: Divulgação)

Faltando um ano e quatro meses para as eleições de 2022, o governador Ratinho Júnior (PSD) já trabalha ativamente em busca de apoio para a sua pré-candidatura à reeleição. Na segunda-feira, Ratinho Jr recebeu a promessa do Cidadania – antigo PPS – de integrar sua coligação no ano que vem. Na semana passada, o governador já havia recebido a mesma promessa do Progressistas – antigo PP – partido do líder do governo Bolsonaro na Câmara Federal, deputado Ricardo Barros e de sua esposa, a ex-governadora Cida Borghetti. O Cidadania – que é presidido pelo deputado federal Rubens Bueno – já havia integrado a coligação que levou Ratinho Jr ao Palácio Iguaçu em 2018.

A pressa nas articulações pode ser explicada pela antecipação do calendário eleitoral da disputa nacional. A polarização entre o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) – pré-candidato declarado à reeleição – e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), está provocando a antecipação das discussões sobre os palanques regionais.

Nas eleições de 2018, o PSD de Ratinho Jr apoiou, no primeiro turno, a candidatura do ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) à presidência, que terminou a disputa com a quarta votação. No segundo turno, a legenda não apoiou oficialmente nem Bolsonaro, nem o candidato derrotado do PT, Fernando Haddad. Mas o governador paranaense declarou voto e fez campanha para o atual presidente.

Alinhamento

Atualmente, o PSD segue na base de apoio de Bolsonaro no Congresso, e Ratinho Jr é um dos governadores aliados do presidente, mas oficialmente, o partido não tem definição sobre a disputa presidencial do ano que vem. A tendência é de que Ratinho Jr mantenha-se alinhado a Bolsonaro, já que a maior parte dos partidos de sua base integra as forças políticas de sustentação do presidente.

Isso fica claro, por exemplo, na aproximação do governador com o PP de Ricardo Barros. Em 2018, a esposa de Barros, Cida Borghetti, disputou a reeleição para o governo, sendo derrotada por Ratinho Jr no primeiro turno. Agora, o PP sinaliza a intenção de apoiar a reeleição do governador, em troca da indicação do candidato a vice, ou a uma das vagas para o Senado na coligação.

Entre os nomes cogitados pela legenda para uma dessas vagas estão o do prefeito de Londrina (região Norte), Marcelo Belinatti, do deputado federal Dilceu Sperafico, da deputada estadual e filha de Ricardo Barros, Maria Victoria, e do ex-prefeito de Maringá, Silvio Barros II, irmão do líder bolsonarista. Barros pretende disputar a reeleição para a Câmara e Cida Borghetti disse que não disputará as eleições para se dedicar ao cargo de conselheira na Itaipu, para o qual foi nomeada por Bolsonaro em maio.