Publicidade
Eleições 2018

'Ratinho Junior não matou meu filho', diz Christiane Yared

(Foto: Divulgação)

Em resposta a críticas por ter se aliado ao deputado estadual Ratinho Junior (PSD), pré-candidato ao governo do Paraná, a deputada federal Christiane Yared (PR), agora pré-candidata ao Senado na chapa de Ratinho, disse nesta segunda-feira (2) que todos os grupos políticos do Paraná têm ou tiveram relacionamento político/partidário com a família Ribas Carli. Com isso, segundo ela, não houve outra escolha senão apoiar o político do PSD.

Uma aliança com o Partido dos Trabalhadores (PT), que seria uma alternativa, segundo a deputada, é inviável. Entre os motivos, além da negativa da própria Yared, está o fato de que ela votou a favor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff em 2015.

"O PR escolheu e eu vou junto com o partido apoiar Ratinho Junior. Ratinho Junior não matou meu filho", disse. O Partido da República (PR), de Yared, oficializou nesta segunda-feira (2) seu apoio à pré-candidatura de Ratinho Jr. ao governo do Paraná. Ratinho quer que Yared seja a principal candidata ao Senado em sua chapa.

A aliança, no entanto, gera uma ligação inconveniente a Yared. Desde janeiro deste ano, a família de Ratinho Jr. é sócia do ex-prefeito de Guarapuava Fernando Ribas Carli, que é pai de Luiz Fernando Ribas Carli Filho, condenado a nove anos e quatro meses de prisão por matar no trânsito Gilmar Yared, filho de Christiane, e Murilo de Almeida, em Curitiba.

A Rádio Massa FM, de Ratinho, ocupa desde o início do ano a concessão da Rádio Cacique, que pertence à família Carli. No domingo, Yared disse que não há outra alternativa. "Qual político neste estado não é amigo da família Carli?", questionou em um comentário no Facebook.

Por meio da assessoria, Yared afirmou que na todos acabam ligados na política. “Na política, todos os postulantes ao Palácio Iguaçu já tiveram relação politico-partidária com o Richa, tirando o pré-candidato do PT (Doutor Rosinha), e eu. Como sempre eu friso: nem direita ou esquerda, pois é pra frente que se anda”, disse Yared.

A assessoria de Yared afirma que “não há desconforto”. "A deputada Christiane Yared tem serenidade e não mistura questões partidárias das eventuais empresariais de Ratinho. Uma coisa não tem nada a ver com a outra. Inclusive, sobre a ligação passada de Ratinho em participar do Governo (Beto) Richa”, diz a assessoria.

Yared, que fez 200 mil votos em 2014, é pré-candidata ao Senado. Porém, de acordo com a assessoria, é possível que ela ainda recue e tenta a reeleição. “Estamos na luta pelo Senado, enquanto as pesquisas nos derem essa condição. Não tenho nenhum projeto pessoal, basta ver meus votos na Câmara como deputada, sempre foram em concordância com a vontade popular. Tento fazer valer a voz da população paranaense. Coerência sempre. Se a população através das pesquisas demonstrarem que devo ser candidata ao Senado, assim o farei, mas se entenderem que devo voltar à reeleição na câmara, irei com sabedoria e humildade acatar”, declarou a deputada.

Carli Filho 

O ex-deputado Luiz Fernando Ribas Carli Filho foi condenado no dia 28 de fevereiro em júri popular a nove anos e quatro meses de prisão em regime fechado por duplo homicídio com dolo eventual. Ele permanece em liberdade durante a tramitação de recursos. Ele matou em um acidente de trânsito em 2009 os jovens Gilmar Rafael Souza Yared e Carlos Murilo de Almeida. O então parlamentar dirigia um passat alemão em velocidade entre 161 km/h e 173 km/h quando bateu contra um Honda Fit onde estavam os jovens. Os dois morreram na hora. Nove anos depois, Carli foi condenado. Desde o acidente, Christiane Yared, mãe de Gilmar, participou de diversas campanhas de concientização no trânsito e acabou virando um símbolo do tema, bem como no combate a “políticos poderoros”, tendo em vista a origem do acusado de causar o acidente. Em 2014, se elegeu com mais de 200 mil votos, sendo a deputada federal com mais votos no Estado.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES