Publicidade
Carreira & Cia.

Recuperação da economia do PR depende do fortalecimento das empresas familiares, alerta especialista

JValério
JValério

Em entrevista ao Bem Paraná, presidente da JValério fala sobre os desafios para recuperar negócios após pandemia. Associada da Fundação Dom Cabral, JValério realiza transmissões temáticas e gratuitas para dar suporte aos empreendedores.

A JValério, que representa a Fundação Dom Cabral no Paraná e em Rondônia, lançou uma série de encontros online gratuitos e abertos ao público para auxiliar empresários na superação da crise econômica causada pelo novo coronavírus. Os Encontros de Gestão acontecem periodicamente, reunindo e aprofundando assuntos setoriais. Além de proporcionar palestras com nomes reconhecidos pelo mercado, que trazem conhecimento e orientações práticas em diferentes aspectos da gestão, as vídeo conferências também agregam valor ao reunir executivos de alta gestão, atuantes em diferentes cidades, e ramos empresariais. A cada encontro os participantes têm a oportunidade de trocar experiências, atualizar conteúdos e traçar prognósticos do que está por vir neste cenário de muitas incertezas e desafios para os empreendedores.

Duas edições já foram realizadas. A próxima oportunidade, agendada para o dia 28 de julho (terça-feira), terá a condução inédita do Diretor-presidente da companhia, Eduardo Valério. O tema da live será a Governança na Empresa Familiar. O especialista pela Wharton Business School (EUA) vai abordar Governança Corporativa na era digital, principais desafios, sobretudo no cenário de pandemia e as barreiras para retomada econômica. O encontro tem duração de uma hora e meia, das 18h às 19h30. Os próximos Encontros de Gestão acontecem em agosto, nos dias 11 (Especial Agronegócios) e 25 (Especial Varejo). Para conhecer melhor a programação e se inscrever gratuitamente, basta acessar o site: https://jvalerio.com.br/

Em entrevista ao Bem Paraná, Valério comentou os principais desafios da economia do Paraná.

Por que a JValério decidiu oferecer esses encontros gratuitos ao empresariado local?
Está no propósito da JVALÉRIO promover o desenvolvimento de executivos, empresas e seu entorno. Em um momento como esse, é mais do que importante que empresas de consultoria disponibilizem conteúdos, metodologias e principalmente trocas de informações sobre as melhores práticas de gestão e governança. Isso nos mobilizou e vai continuar mobilizando para compartilhar de forma gratuita aquilo que nós estamos ensinando e aprendendo com os empresários.

Qual é o impacto da pandemia nos negócios paranaenses?
Diferentes setores, diferentes empresas enfrentam diferentes problemas. Alguns com profundas dificuldades, principalmente aquelas empresas ligadas ao comércio; e alguns com momento de aproveitamento da oportunidade de crescimento - que é o caso da indústria de alimentos, de limpeza e higiene, alguns produtos manufaturados e o agronegócio, com bastante crescimento. Como a economia do Paraná é muito dinâmica, o estado tem conseguido se equilibrar, sendo aquele que mais cresceu no mês de maio, graças à essa diversidade. Os setores que estão em crise estão tendo uma lição difícil de reaprender seus negócios. Mas,nesses momentos de crise há condições de refletir e criar alternativas. Tenho certeza que o empresariado paranaense tem plenas condições de superar mais esse doloroso desafio na história empresarial.

Qual a importância da profissionalização da gestão para superação da crise?
Quando se fala em profissionalização há um equívoco, principalmente nas empresas familiares. Muitos pensam que profissionalização é a saída dos membros familiares da gestão, e é ao contrário. A profissionalização é adotar as práticas de gestão de negócios que visem o desenvolvimento da empresa, das pessoas. Processos bem definidos, indicadores que reflitam o desempenho de cada setor, de cada área, de cada produto. Ou seja, uma empresa profissionalizada está com seus processos, seus indicadores e a sua estratégia bem definidos e acompanhados de forma sistemática.

O tema da sua palestra será a governança nas empresas familiares. Qual a relevância desse segmento na economia do Paraná?
Nós vamos abordar um dos temas mais desafiadores para todas as empresas, que é a Governança Corporativa. Esse tema tem uma relevância maior ainda em momentos de crise porque ele coloca à prova toda a capacidade que a empresa tem de fazer a gestão de suas crises. É importante que a empresa tenha de maneira estruturada quais indicadores devem ser acompanhados, com clareza sobre processos de decisão, implementação e o papel de cada membro. Isso evita que aconteça o que é muito comum em empresas familiares: confusão de papéis.

Como a governança pode colaborar para que empresários e executivos superem esse momento de incertezas?
Se nós considerarmos que mais da metade do PIB paranaense vem das empresas familiares, você pode imaginar a importância desse tema. Mais da metade do nosso PIB está vinculado ao sucesso das empresas familiares. Na nossa live aberta ao público vamos abordar, de forma simples e direta, quais são os cuidados que os empresários proprietários das empresas familiares devem estar atentos para que a capacidade de superação de resultados e atravessamento dessa crise esteja cada vez mais fortalecida com uma melhor governança. Muitas empresas paranaenses já adotaram, mas, infelizmente a maioria não. E estas correm riscos de descontinuidade.

A crise global também despertou debates muito polarizados, colocando os negócios até como inimigos da saúde pública. Como as empresas podem pensar na recuperação econômica de maneira responsável? É possível buscar alternativas que equilibrem os negócios e preservem as vidas - enquanto a vacina não é uma realidade?
Umas das principais responsabilidades sociais das empresas é a geração de empregos. Tenho visto vários empresários tomando decisões de corte de despesas e gastos para preservar a renda dos funcionários. Uma das grandes contribuições para a recuperação da economia é fazer com que as empresas retomem suas atividades sem demitir as pessoas. Há muitas demissões, mas, também há contratações, e isso faz com que a roda da economia volte a girar com mais intensidade.

A filantropia também é importante. Temos notado um grande e silencioso movimento positivo dos empresários de fazerem ações sociais. Quem já fazia aumentou a contribuição e outros começaram a se engajar. E esse movimento de enxergar o impacto empresarial fora dos seus portões veio para ficar. É colaborar com a comunidade no seu entorno com maior responsabilidade social por parte do indivíduo e da empresa.

No momento vale seguir a recomendação das autoridades sanitárias. Os negócios precisam tomar os cuidados de higiene e isolamento, e desenvolver protocolos. Existem sempre as oportunidades: podemos sentar e chorar ou procurar as alternativas, pois elas sempre existirão. É seguir, conscientizar todos e cuidar da saúde dos funcionários.

Muitas empresas terão de se adaptar às ferramentas digitais para sobreviver. Como será essa adaptação?
Toda crise traz mudanças de comportamento. A atual traz vários ensinamentos e desafios para os quais ninguém se preparou. A dinâmica das empresas mudou bruscamente, algumas vão trabalhar com parte do seu time em home office, outras vão racionalizar volume de reuniões e viagens. Estruturas vão ser revistas e os funcionários descobrirão novas habilidades no trabalho remoto. O maior fenômenos que estamos observando nesta crise é a horizontalização: os processos decisórios estão diluídos. Isso veio para ficar também. Teremos um novo método de fazer negócios, o digital, que fez a geografia desaparecer: podemos ter fornecedores e colaboradores em qualquer lugar do mundo. Um mundo hiperconectado e hipertransparente está afetando a lógica dos negócios.

Qual é sua principal recomendação para quem empreende e está apreensivo?
Não faça com que a apreensão supere o empreendedorismo. Empreender faz parte do crescimento das pessoas, das empresas e das nações. É inerente ao ser humano. A apreensão deve ser mitigada através de tomadas de precaução relacionadas a um planejamento melhor estruturado e a capacidade de identificar quando a estratégia está dando errado, mudar de rota com rapidez e voltar a empreender. Aprender com os erros, identificar questões erradas e rapidamente corrigí-las diferencia as empresas que vão prosperar daquelas que vão deixar de existir.

Sobre a JValério Fundação Dom Cabral
A JValério é a representante da Fundação Dom Cabral no Paraná e em Rondônia, realizando programas de desenvolvimento de gestão e educação executiva que favorecem a otimização da atividade empresarial. Sendo uma das principais associadas da FDC no Brasil, a JValério já atendeu mais de 200 companhias e possui mais de 80 empresas ativas que vivenciam processos gradativos de transferência de conhecimento, com o intercâmbio de experiências em todos os níveis gerenciais. Tendo sustentabilidade como tema transversal em todos os projetos, a Fundação Dom Cabral é uma escola de negócios brasileira com mais de 40 anos de atuação em diversos segmentos em vários países e é a melhor escola de negócios da América Latina há 15 anos consecutivos e a 9ª melhor do mundo, segundo o ranking anual de Educação Executiva do jornal inglês Financial Times.


CURTAS

*Na contramão da crise, Jockey Plaza Shopping inaugura dez lojas nos últimos meses.O estabelecimento recebeu operações de alimentação, vestuário, calçados,eletrônicos, serviços e móveis, com três marcas inéditas na cidade.
Em meio à pandemia da COVID-19, o Jockey Plaza Shopping inaugura dez novas operações nos meses de março a julho, de diversos segmentos, como alimentação, vestuário, calçados, eletrônicos, serviços e móveis. Juntas, as novas operações foram responsáveis pela contratação de mais de 130 colaboradores, diretos e indiretos.
Em março, o shopping recebeu a Maxflex, marca curitibana especialista em qualidade de sono, responsável pelo desenvolvimento, produção e comercialização de colchões e sistemas de dormir. A Lynn inaugurou também uma operação com moda casual masculina e a Trulenik, inédita em Curitiba, trouxe o famoso doce de origem romena, que dá nome à loja: uma massa doce assada em tiras com açúcar e canela, feito na hora, com várias opções de recheios, como como Nutella, doce de leite, chocolate ao leite, branco ou meio amargo.

*A exemplo do que acontece no governo estadual, que criou o Comitê de Volta às Aulas para estudar um protocolo de retorno parcial das aulas presenciais, o Sindicato das Escolas Particulares (Sinepe/PR) têm buscado um diálogo similar junto a Prefeitura de Curitiba, diante da necessidade de se planejar e organizar o retorno das aulas presenciais da rede privada - Educação Infantil, Ensino Fundamental 1 e 2, Ensino Médio, Ensino Superior e Escolas de Idiomas/ Cursos Livres - o mais breve possível. E no caso da Educação Infantil, o Sinepe/PR pede uma atenção maior, tendo em vista que este segmento de ensino está sofrendo grandes impactos decorrentes da pandemia (evasão de alunos, fechamento de unidades e desemprego), o que vai onerar drasticamente o município na abertura de vagas para alocar estes estudantes.

*O atual cenário político brasileiro e a realização de eleições em 2018 trouxeram uma instabilidade política de curto prazo para o Brasil. É o que mostra o mais recente relatório Political Risk Map 2018 da consultoria de risco e corretora de seguros Marsh, produzido em parceria com a BMI Research, empresa de análise independente de riscos políticos, macroeconômicos, financeiros e industriais.Para medir o grau de risco político do País, a consultoria estabelece uma nota de 1 a 100 considerando três categorias de riscos: político, econômico e operacional. As pontuações abaixo de 60 representam alguma instabilidade. Este ano, o Brasil ficou com nota 57.5, tendência já verificada em 2017, quando a nota do País foi 57.2.


FRASE

“Eu admiro aqueles que conseguem sorrir com os problemas, reunir forças na angústia, e ganhar coragem na reflexão. É coisa de pequenas mentes encolher-se, mas aquele cujo coração é firme, e cuja consciência aprova sua conduta, perseguirá seus princípios até a morte.”

(Thomas Paine)


Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES