Publicidade
Gente de bem

Rede luta contra o abandono de animais, que cresce em dezembro

Cães resgatados pelo serviço de proteção animal da Prefeitura de Curitiba aguardam por adoção
Cães resgatados pelo serviço de proteção animal da Prefeitura de Curitiba aguardam por adoção (Foto: Franklin de Freitas)

A Rede de Proteção Animal da Prefeitura de Curitiba está em busca de voluntários para oferta de lares temporários para animais resgatados pelo serviço de emergência. Desde o início de outubro, quando a ambulância entrou em operação, já foram 146 atendidos, vítimas de atropelamentos em vias públicas.

“O serviço de resgate foi aceito pela população e funciona muito bem. Infelizmente, as adoções não seguem no mesmo ritmo, em especial nessa época de final de ano”, conta o diretor de Pesquisa e Conservação da Fauna da Secretaria do Meio Ambiente, Edson Evaristo.

Muitos destes animais, infelizmente, estavam nas ruas depois de serem abandonados. E dezembro, historicamente, é um mês de contradição. Embora exista o clima de solidariedade, também é a época quando mais ocorrem abandonos ou fuga de animais de estimação. Com as férias, muitas famílias acabam descartando os seus animaizinhos, ou então eles fogem quando há muitos disparos de fogos de artifício. Nas ruas, acabam sendo vítimas de maus-tratos e acidentes.

Além de procurar lares permanentes ou temporários, também é trabalhada a conscientização. Ter um animal de estimação exige compromisso.

Dezembro Verde

Para abordar esse tema, a Prefeitura de Quatro Barras lançou, na semana passada, uma campanha chamada de Dezembro Verde. “O mês de dezembro é considerado o mês de maior índice de abandono de animais, em virtude da proximidade das férias. Infelizmente algumas famílias abandonam seus animais antes de saírem de viagem, aumentando consideravelmente a quantidade de animais abandonados das ruas”, diz o texto da campanha. Lembrando que o abandono de animais é crime.

Animais pelas ruas são um problema em toda a Região Metropolitana. Os municípios têm se empenhado para enfrentar este problema, mas dependem mesmo é da conscientização da população.

Veja como se tornar um tutor temporário em Curitiba

A Rede de Proteção Animal da Prefeitura de Curitiba procura por lares temporários porque com tantos resgates e capacidade limitada, o Centro de Referência para Animais em Situação de Risco (Crar) já não pode receber novos hóspedes. São atendidos pela ambulância animais que não possuem tutor responsável. Quem se propuser a fazer lar temporário para eles, os recebe tratados, castrados e vacinados.

Além de ter um cômodo em que o animal possa ficar, é preciso que o local seja à prova de fugas. O lar temporário deve se responsabilizar pelo cuidado, incluindo alimentação. “Mas lares temporários são beneficiados pelos repasses do Banco de Ração do município de Curitiba”, reforça Evaristo.

O tempo em que o animal fica no lar temporário pode variar, o ideal é que se consiga a adoção o mais breve possível.

Para se voluntariar, não é necessário ser protetor de animais, o interessado deverá fazer um cadastro simplificado. Basta entrar em contato com a Rede pelo e-mail protecaoanimal@smma.curitiba.br.gov.br para ter mais informações.

O serviço de Unidade de Resgate Animal, da Rede de Proteção Animal da Prefeitura de Curitiba entrou em operação no começo de outubro, e faz três atendimentos por dia, em média. O veículo atende aos chamados feitos pela Central 156, todos os dias, das 7h30 às 16h30. Não é permitido o registro de chamadas anônimas.

Casos de sucesso
A cuidadora de idosos Vilza Carla do Rocio de Andrade diz estar deixando de ser protetora de animais, mas não resistiu em fazer lar temporário para o Cadu, resgatado pela Rede de Proteção Animal. Cadu está na casa da Carla há cerca de um mês.

“Quem se dispuser a fazer um lar temporário vai precisar de um pouco de paciência na adaptação, mas vai ser compensado com muito amor”, explica.
Ela, que em geral leva os cães em eventos de adoção da Rede, diz que mantém contato com todos os adotantes para garantir que os animais sigam bem-tratados.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES