Reino Unido diz que Rússia quer substituir governo da Ucrânia

O governo britânico acusou neste sábado, 22, a Rússia de tentar substituir o governo da Ucrânia por um governo pró-Moscou, e disse que o ex-deputado ucraniano Yevheniy Murayev está sendo considerado um potencial candidato. Murayev é o chefe do pequeno partido pró-Rússia Nashi, que atualmente não tem assentos no parlamento da Ucrânia.

O Ministério das Relações Exteriores da Grã-Bretanha nomeou vários outros políticos ucranianos que disse terem ligações com os serviços de inteligência russos. Contudo, não está claro o que a Grã-Bretanha acredita que a Rússia possa usar para instalar um governo amigável em Kiev.

O governo do Reino Unido fez a alegação com base em uma avaliação de inteligência, sem fornecer evidências para apoiá-la. Isso ocorre em meio a uma guerra de palavras entre Moscou e o Ocidente sobre os projetos da Rússia sobre a Ucrânia.

A secretária de Relações Exteriores, Liz Truss, disse que a informação "ilumina a extensão da atividade russa projetada para subverter a Ucrânia e é uma visão do pensamento do Kremlin".

Truss instou a Rússia a "reduzir a escalada, encerrar suas campanhas de agressão e desinformação e seguir o caminho da diplomacia" e reiterou a visão da Grã-Bretanha de que "qualquer incursão militar russa na Ucrânia seria um grande erro estratégico com custos severos".

A Grã-Bretanha enviou armas antitanque para a Ucrânia como parte dos esforços para reforçar suas defesas contra um possível ataque russo. Fonte: Associated Press.