Relação comercial com China parece estar no caminho certo, diz Kudlow

O diretor do Conselho Econômico Nacional da Casa Branca, Larry Kudlow, descreveu como "construtivas" as reuniões que representantes do governo americano tiveram com Liu He, vice-premiê da China, nesta sexta-feira cedo. Em entrevista à Bloomberg TV, Kudlow afirmou que, embora os Estados Unidos estejam investigando evidências de que Pequim não foi transparente quanto ao coronavírus, no campo comercial, a relação entre os dois países "parece estar no caminho correto".

Ele demonstrou otimismo de que os termos estabelecidos no acordo firmado em janeiro serão cumpridos.

O diretor também comentou o relatório de emprego dos EUA, conhecido como Payroll, que mostrou corte recorde de 20,5 milhões de postos de trabalho em abril. Pelos cálculos dele, cerca de 3/4 das perdas representam demissões temporárias, o que deve sustentar uma "significativa recuperação econômica" na segunda metade do ano.

Kudlow explicou que a Casa Branca tem trabalhado em um plano de contingência que leva em conta uma nova onda da pandemia nos próximos meses, mas ponderou ser possível que, caso isso ocorra, o país não tenha que passar por outra quarentena, já que estarão "mais bem equipados" para lidar com a doença.

Em outra entrevista, à Fox Bussiness, Kudlow reafirmou que a contração econômica se provará temporária, em parte por conta das ações dos pacotes de estímulos fiscais implementados pelo governo. "Veremos números positivos no segundo semestre", garantiu, acrescentando que a reabertura da economia começará em maio.