Publicidade
Transporte coletivo

Renovação dos ônibus diminui idade média da frota operante em 2 anos

(Foto: SMCS)

O processo de renovação dos ônibus do transporte coletivo de Curitiba, retomado em dezembro de 2017 pelo prefeito Rafael Greca, depois de mais de quatro anos parado, evitou o envelhecimento da idade média da frota operante.

Caso nada fosse feito, hoje os 1.250 ônibus que transportam diariamente mais de um milhão de passageiros estariam juntos com uma idade média de quase uma década, 9,8 anos. Com a renovação já feita, ela está em 7,8 anos – dois anos a menos.

De 2013 até o fim de 2017 nenhum ônibus novo havia sido adquirido e assim, a idade média da frota aumentava continuamente. Pelo contrato de concessão assinado em 2010, a idade limite dos ônibus em operação na cidade é de dez anos de vida.

“Esse processo nunca deveria ter sido interrompido, pois gerou um grande acúmulo de frota vencida e prejuízo para a cidade. O esforço de retomada da renovação foi grande e não poderá parar”, destaca Ogeny Pedro Maia Neto, presidente da Urbs (Urbanização de Curitiba S/A). 

A aquisição de 157 novos ônibus entre dezembro de 2017 até agora manteve a frota operante com uma idade média de 7,8 anos. Até abril serão 250 novos veículos, diminuindo a idade média para 7,6 anos e, até o fim deste ano a renovação da frota completará 300 ônibus de vários modelos: comuns, articulados e biarticulados, micros e outros.

Quando os 300 ônibus estiverem incorporados e forem entregues vão significar uma renovação de 24% da frota de 1.250 ônibus operantes do sistema.  O compromisso até o fim de 2020 é entregar 450 ônibus para o sistema urbano de transporte, o que significará uma renovação de 36% em relação a dezembro de 2016.

Além de mais conforto para os passageiros, ônibus mais novos exigem menos recursos de manutenção.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES