Publicidade
Chuvas de verão

Risco de temporais em Curitiba vai até o fim do mês, pelo menos

Rua obstruída por causa de estrago causado pelas chuvas
Rua obstruída por causa de estrago causado pelas chuvas (Foto: Franklin de Freitas)

O risco de pancadas fortes de chuva, com raios e ventos, deve durar pelo menos até o fim deste mês em Curitiba e no Paraná. Até o dia 31 de janeiro, segundo o site do Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar), o Estado e a Capital devem conviver com esta situação, com altas temperaturas acompanhadas por pancadas de chuva ao longo do dia.

Na quarta-feira (16), em mais um evento severo na Capital, a Coordendoria Municipal de Proteção e Defesa Civil de Curitiba, contabilizou pelo menos 33 ocorrências relacionadas a quedas de árvores e galhos em via pública em diversos bairros. O temporal durou cerca de vinte minutos (13h40 até 14 horas), mas deixou muitos estragos.
Entre as situações, no Capão da Imbuia, houve queda da fiação elétrica na Rua Manoel Virgínio de Souza e, no Boqueirão, queda de árvore sobre uma residência e um veículo, na Rua Anne Frank, 1.357. Nas ruas Guilherme Pugsley com Morretes e Eduardo Carlos Pereira com Ildefonso Stockler de França, houve bloqueios de trânsito após queda de árvores.

De acordo com o Simepar, as rajadas de vento alcançaram 64,1 km/h na Capital. Vários semáforos também ficaram desligados durante e após o temporal.
Interior e Litoral

As chuvas também atingiram o Interior do Paraná e o Litoral. Em Guaratuba, uma balsa se soltou com a força dos ventos e acabou encalhando num banco de areia. Dois rebocadores precisara arrastá-lo de volta.

Desde a madrugada, choveu forte em setores do Centro-Oeste, Centro e Noroeste do Paraná. Na Grande Curitiba, Adrianópolis também teve registro de grande volume de chuva. Novos eventos severos podem ocorrer nos próximos dias.


Quem deve ser acionado em caso de emergências

O cidadão que precisar comunicar a Prefeitura sobre a queda de árvores deve utilizar o telefone 156 da Central de Atendimento ao Cidadão ou pelo site (www.central156.org.br). O atendimento acontece por ordem de chamada e também de acordo com a gravidade da situação relatada
A Defesa Civil registra as ocorrências que chegam ao município pelo telefone de emergência 199 e, também, pelo 156 (Central de Atendimento ao Cidadão) e pelo 153 (Centro de Operações da Defesa Social - Guarda Municipal)
Outras situações decorrentes de chuvas ou temporais podem ser atendidas pelo Corpo de Bombeiros (193) e pela Copel
A orientação da Defesa Civil é de evitar sair de casa durante uma tempestade. Se a pessoa estiver na rua, evitar se abrigar embaixo de árvores e de estruturas metálicas, uma vez que Curitiba tem registrado grande incidência de raios

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES