Publicidade
Rosto da cidade

Rua São Francisco terá paraciclos e balizadores em nova revitalização

Rua São Francisco terá paraciclos e balizadores em nova revitalização
(Foto: Luiz Costa/SMCS)

Rua do Fogo, do Hospício, do Terço ou simplesmente San Fran, como foi recém-apelidada pelos frequentadores, a Rua São Francisco terá novas calçadas e implantados paraciclos para oferecer melhor estrutura a pedestres e ciclistas que trafegam pela região mais antiga da cidade.

Ação faz parte do Rosto da Cidade, projeto de recuperação urbana do centro histórico. “Resgatar a identidade de Curitiba. Esta é a proposta do Rosto da Cidade, porque uma cidade de vanguarda não admite ruínas nem o abandono”, afirma o prefeito Rafael Greca, idealizador do projeto.

Entre as intervenções a serem feitas na São Francisco está a implantação de paraciclos, para atender à demanda dos frequentadores da rua, e de balizadores, para impedir que veículos estacionem sobre as calçadas. Será removido o pavimento deteriorado, implantada nova base em concreto e serão instaladas placas vibroprensadas de alta resistência nas calçadas seguindo o padrão atual. Também será recuperado o calçamento de petit-pavê na esquina da Rua São Francisco com a Barão do Serro Azul, considerando a complementação do desenho existente e reassentado o meio-fio em toda a extensão da via.

Na quadra entre as ruas Barão do Serro Azul e Riachuelo, para garantir a faixa acessível com a largura de 1,20m (mínimo exigido pela NBR 9050), deverá ser retirado um trecho do matacão (rochas arredondadas) colonial, que será reassentado junto ao meio-fio. Na esquina com a Rua Barão do Serro Azul será implantada uma faixa elevada para a segurança na travessia ao Largo da Ordem.

O projeto está em fase final de orçamento. Após esta etapa será realizado o processo licitatório para as obras. A previsão é que os trabalhos de revitalização possam ser iniciados no começo do ano que vem. “O começo das obras para o início do próximo ano foi definido em consenso com os comerciantes da Rua São Francisco, como forma de não prejudicar o movimento das festas de fim de ano”, explica arquiteto Mauro Magnabosco, da coordenação de projetos do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc).

Rosto da Cidade

O Rosto da Cidade é um projeto da Prefeitura em parceria com a iniciativa privada. Abrange uma área de 2 km² do centro antigo de Curitiba.

O investimento estimado é de R$ 4,8 milhões na compra de material, execução da pintura e reparos nas edificações. O projeto é dividido em cinco etapas e além da recuperação dos imóveis terá a execução de planos de iluminação pública, segurança, mobilidade e acessibilidade.

A primeira fase será a da pintura de 14 prédios públicos históricos. Na segunda fase do Rosto da Cidade serão contemplados os espaços entre o Largo da Ordem e a Rua São Francisco e na terceira etapa as Praças Tiradentes, Borges de Macedo e Generoso Marques.

O eixo entre as ruas Barão do Rio Branco e Riachuelo será executado na quarta etapa e a Rua Trajano Reis, desde o Setor Histórico até a Praça do Gaúcho, será a quinta e última fase do projeto.

História

Das mais antigas da cidade, a São Francisco já foi conhecida como Rua do Fogo, do Hospício, do Riachuelo e do Terço, em diferentes trechos e épocas, até chegar à denominação atual, em 1867. De todas as denominações, Rua do Fogo é a mais antiga, já mencionada em 1786 em documentos da Câmara Municipal.

A São Francisco adentrou o século 20 como uma rua eminentemente comercial, onde se encontrava de tudo um pouco: de móveis, roupas, livros e produtos de armarinhos a armazéns, bares e restaurantes; de serviços variados, como os de consultórios, alfaiatarias e funilaria, a barbearias, salões de beleza e até afinador de piano.

Ainda nos dias de hoje a São Francisco conserva o traçado dos tempos coloniais. Tempos em que se amarravam cavalos em argolas fincadas nas estreitas calçadas de pedra e se penduravam os chapéus nos beirais das casas. Conserva também, elementos de diferentes temporalidades, visíveis nos antigos sobrados de grossas paredes, no calçamento irregular, nas construções mais recentes e, até mesmo, em atividades seculares que já inspiraram uma de suas denominações.

Em dezembro de 2012 foram concluídas as obras de revitalização da Rua São Francisco. Foi retirada a faixa de estacionamento para permitir o alargamento das calçadas e instalado piso acessível, em substituição à lousa existente. Também foi implantado um novo sistema de iluminação pública com a instalação de arandelas nas fachadas.

DESTAQUES DOS EDITORES