Crise na Série C

Rubão explica situação de Casinha, alvo de protestos da Fúria Independente

Fúria Independente na Vila Capanema: nota oficial pedindo a saída de Casinha
Fúria Independente na Vila Capanema: nota oficial pedindo a saída de Casinha (Foto: Arquivo Bem Paraná/Valquir Aureliano)

O presidente do Paraná Clube, Rubens Ferreira Silva, o Rubão, explicou a situação do ex-vice-presidente Luiz Carlos Casagrande, o Casinha. “O Casinha hoje é só funcionário do clube e está com problema de saúde. Ele e a esposa dele estão se recuperando em casa da Covid-19. Como que eu poderia chamar ele na sede para conversar conosco? Tão logo ele esteja liberado nós vamos conversar, mas eu já adianto que ele não participará de nenhum cargo na nossa diretoria. Na nossa gestão, não será diretor do clube”, afirmou Rubão, em entrevista coletiva, na última segunda-feira.

Vice-presidente na gestão anterior, Casinha assumiu como presidente interino após as renúncias de Leonardo de Oliveira e Sergio Molletta. Em seguida, virou alvo de protestos da torcida organizada Fúria Independente. “A parceria com a FDA transformou a empresa em dona do clube, por conta do envolvimento suspeito do Casinha com os representantes da empresa”, acusou a Fúria, em nota oficial publicada em 26 de agosto.

Rubão desafiou a torcida. “Eu escuto muito por aí que se o Casinha sair do clube no outro dia a pessoa vai se associar. Quero ver efetivamente quando a situação for definida quantos mil novos associados nós teremos”, declarou o atual presidente, que tomou posse na semana passada.

Na mesma entrevista, Rubão avisou que o processo de reconstrução do Paraná será complexo. “Se a torcida acha que vamos conseguir colocar o Paraná Clube na Série A em três anos, esqueça. Isso é sonho. Não sou vendedor de sonhos, nem ilusões”, declarou.

O dirigente explicou que pretendia apresentar um diretor de futebol nos próximos dias, mas que está com dificuldades. “A realidade de Série D será com dificuldades ainda maiores. Nós nos comprometemos a divulgar um diretor de futebol, que aguardou inicialmente a parceria com a FDA Sports. Mas quando ele viu que a parceria não vingou, ele declinou. Então, nós partimos para o segundo plano, que também não aceitou. Vou ter que iniciar novamente as negociações para que esse diretor de futebol tope esse desafio e faça o bate volta”, afirmou.