Rússia: Kremlin nega que tenha dado calote após ter perdido pagamentos de dívidas

O Kremlin negou, nesta segunda-feira, que a Rússia tenha dado calote na dívida. O país perdeu o pagamento de dois títulos em moedas estrangeiras na fim da noite deste domingo, dia em que marcou o fim do período de 30 dias de carência, de acordo com os detentores de título. A Rússia deveria pagar em euros o equivalente a US$ 100 milhões.

"As alegações de que a Rússia está inadimplente estão erradas. Um pagamento em moeda estrangeira foi feito em maio, e o fato de os fundos não terem sido transmitidos aos destinatários não é problema nosso", disse o porta-voz presidencial Dmitry Peskov a repórteres.

Calote simbólico

Investidores e advogados dizem que o país entrou em default porque os fundos não chegaram aos detentores de títulos. A Rússia provavelmente argumentará que cumpriu suas obrigações porque enviou fundos para a câmara de compensação Euroclear, embora esses fundos não tenham sido encaminhados aos investidores devido a sanções, de acordo com um detentor de títulos. Os advogados dizem que os documentos dos títulos não são claros sobre se os pagamentos que chegaram à câmara, mas não à conta do detentor dos títulos, constituiriam um default formal. Um porta-voz da Euroclear não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

Embora os termos dos títulos tenham sido tecnicamente quebrados, o padrão é amplamente simbólico por enquanto. As agências de classificação normalmente o declarariam um evento de default, mas suspenderam a cobertura dos títulos do país após as sanções do Ocidente.

Os próprios detentores de títulos provavelmente vão querer esperar antes de iniciar formalmente o processo de inadimplência, na esperança de serem pagos de volta após o término da guerra. Declarar a inadimplência agora forçaria a Rússia a pagar o princípio dos empréstimos imediatamente, mas as mesmas sanções que impedem o pagamento de juros também impediriam esses pagamentos.

A Rússia deixou de pagar sua dívida em moeda local em 1998 em meio à crise do rublo. Esse evento desencadeou o colapso do fundo de hedge Long Term Capital Management e representou uma ameaça para todo o sistema financeiro. A crise foi evitada por um resgate de outros bancos. O fim do LTCM mais tarde seria visto como um prenúncio para a crise financeira uma década depois.

O último calote da dívida russa em moeda estrangeira aconteceu em 1918, quando o novo governo comunista de Vladimir Lenin se recusou a assumir as dívidas da Rússia sob os czares.