memória

Salve Zuzu Angel!

Vestido de renda de Zuzu Angel
Vestido de renda de Zuzu Angel (Foto: Pinterest/Reprodução)

Na semana passada, dia 5 de junho, a estilista Zuzu Angel completaria 100 anos. Quando me dei conta da existência dela de fato, ao ver sua história retratada como poesia triste no desfile de Ronaldo Fraga, numa São Paulo Fashion Week, achei que o mundo agora fosse um lugar melhor do que era antes. Do que quando ela usou a moda como manifesto político para denunciar a tortura e o assassinato do filho Stuart, pela ditadura militar em 1971. Mas não é.

Sua moda com ares de manifesto político e seu pioneirimo ao valorizar a estética e as matérias-primas nacionais não são tão naturais quanto deveriam ser. Moda é arte, moda é expressão, moda é discurso e ninguém deveria hoje em dia ter medo de usá-la como plataforma para fazer deste um mundo melhor.

Muita gente faz muita coisa boa e, em grande parte, isso se deve a Zuzu Angel, que encantou o mundo com as rendas, estampas e cores brasileiras, quando ainda se torcia o nariz para a nossa estética artesanal e autoral.

Zuzu fez do Brasil uma inspiração para sua moda e palco do seu calvário. A nós, cabe rever com carinho, aprender com a história e não repetir os mesmos erros. E valorizar o que é genuinamente feito aqui. Viva Zuzu!

Editorial da Vogue, com peças originais, se inspira na moda e na linguagem da estilista

 

Estampas e cores na criação de Zuzu

 

Cena do desfile de Ronaldo Fraga, em homenagem à estilista

 

Zuzu Angel em seu ateliê de moda