Publicidade

São Paulo aprova mudança no estatuto e proíbe remuneração a conselheiros

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - O São Paulo aprovou neste sábado (25) a mudança no estatuto do clube depois de uma assembleia geral aberta aos sócios realizada no Ginásio do Morumbi. Com a alteração estatutária, os conselheiros licenciados não poderão ter cargos remunerados no Tricolor.

Dos 693 sócios que votaram, 625 optaram pela mudança. A medida entrará em vigor em abril de 2020, ano da próxima eleição presidencial no São Paulo.

Tal mudança já havia sido aprovada pelo Conselho Deliberativo em novembro passado. No total, 122 integrantes do conselho votaram a favor da mudança - era necessária a aprovação de 119 conselheiros.

O São Paulo criou seu novo estatuto na virada de 2016 para 2017. Com a eleição presidencial de abril de 2017, vencida por Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, as novas regras foram colocadas em prática. A revisão no texto havia sido solicitada por conselheiros de oposição e ganhado o apoio também dentro de integrantes da situação.

O estatuto falava em contar com profissionais de notório conhecimento em suas áreas como executivos, mas a indicação de conselheiros para os cargos remuneradas era apontada por muitos como uma troca de favores.

DESTAQUES DOS EDITORES