São Paulo e Corinthians colocam tabus à prova na briga por uma vaga na final

Os técnicos Rogério Ceni e Vitor Pereira podem não estar focados em quebrar tabus, mas jejuns incomodam os torcedores de São Paulo e Corinthians. Os rivais se enfrentam neste domingo, às 16h, no Morumbi, em busca de uma vaga na final do Paulistão. A equipe tricolor não perde há dez partidas em casa para o time alvinegro, que venceu os últimos nove mata-matas entre os dois. Ambos tabus serão colocados à prova na partida única que definirá um dos finalistas.

A última vitória do Corinthians sobre o São Paulo no Morumbi foi em abril de 2017. Já o último triunfo tricolor sobre a equipe alvinegra em confrontos eliminatórios foi na semifinal do Paulistão de 2000.

Os rivais se enfrentaram na primeira fase do Paulistão 2022 e o São Paulo levou a melhor, derrotando o Corinthians por 1 a 0, no Morumbi, com gol do atacante Calleri.

A equipe de Ceni está em ascensão nas últimas partidas. Dono do melhor ataque, o time vem de seis vitórias nos últimos sete jogos, tendo perdido apenas o clássico para o rival Palmeiras por 1 a 0. O desempenho ofensivo passou por significativa melhora. Se nas oito primeiras partidas do ano a equipe marcou apenas dez gols, nas sete seguintes fez 14.

"Acho que tivemos a nossa melhor produção ofensiva, com boas tabelas, jogadas de grupo, mas, ao mesmo tempo, tivemos falhas que não estávamos tendo no setor defensivo", disse o treinador são-paulino, em entrevista coletiva, após a goleada sobre o São Bernardo por 4 a 1.

O time passou a trabalhar melhor a bola para encontrar espaços nas defesas adversárias. A equipe é a que mais finalizou certo (média de 5,92) e realizou cruzamentos (média de 7,3 por jogo) no Paulistão, segundo dados do Footstats.

Os desfalques são o zagueiro Arboleda, servindo a seleção do Equador, o lateral-direito João Moreira, representando Portugal em um torneio de base, e o meia Gabriel Sara, que se recupera de lesão. O volante Gabriel Neves voltou a treinar nos últimos dias e pode aparecer no banco de reservas.

"São equipes distintas na maneira de jogar, mas conseguem sempre bons jogos. A gente espera que o torcedor possa ver uma boa apresentação da equipe", disse Ceni.

Com dois dias a menos para se recuperar e jogar o clássico, a questão física é uma preocupação no Corinthians principalmente após a queda de rendimento no segundo tempo contra o Guarani. "Não podemos jogar todos os jogos com os mesmos jogadores. Isso é completamente impossível. Estamos analisando e tentando equilibrar as coisas", disse o técnico Vitor Pereira.

O português já está ciente do calendário apertado do futebol brasileiro e inclusive apostou em uma equipe reserva na última partida da primeira fase, contra o Novorizontino.

O desempenho aquém do esperado diante de Palmeiras e Guarani não agradou Renato Augusto. "Fizemos um jogo de razoável para bom, tem que melhorar muita coisa. É descansar o pouco tempo que temos para a semifinal", disse o meia após a vitória nos pênaltis sobre o time campineiro.

Dois jogadores não têm presença confirmada na partida. Os atacantes Willian, que sofreu uma forte pancada no quadril, e Mantuan, com dores no joelho direito. Caso Willian tenha condição, Pereira deve repetir a escalação da última partida.