São Paulo tenta embalar no Brasileirão após vitória heroica pela Sul-Americana

O São Paulo tenta aproveitar o embalo da vitória marcante na Sul-Americana por 4 a 2 sobre a Universidad Católica, com três jogadores expulsos, na última quinta-feira para "acertar a rota" no Brasileirão. Com pouco tempo de descanso, o time do técnico Rogério Ceni enfrenta o Atlético-GO, neste domingo, às 16h, em Goiânia.

A equipe tricolor vem de duas vitórias nos últimos dez jogos no Nacional e viu a distância para as primeiras posições aumentar nas últimas rodadas. Se o São Paulo não terá tempo para se recuperar da atuação valente na última quinta-feira, o Atlético-GO também enfrenta o mesmo problema já que foi até o Paraguai no mesmo dia pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa Sul-Americana, quando perdeu por 2 a 0 para o Olímpia.

"Nós temos só 19 pontos em 14 jogos e teremos dois jogos fora no Brasileiro (Atlético-GO e Atlético-MG). O campeonato é ingrato, se você não der atenção a ele, ele se volta contra você. Vamos fazer alguns revezamentos. Precisamos saber tentar rodar o elenco e rezar para que não ocorra mais lesões", disse Ceni após o empate em 0 a 0, em casa, contra o Juventude.

Expulsos contra a Universidad Católica, o lateral-direito Igor Vinícius, o meia Rodrigo Nestor e o atacante Calleri podem ir a campo na partida diante do Atlético-GO.

A lista de desfalques segue uma preocupação para Ceni. A recuperação de atletas lesionados ainda deve demorar. O volante Andrés Colorado, que se recupera de uma lesão muscular, realizou na sexta-feira o primeiro trabalho de fisioterapia com bola no gramado. O meia Alisson também esteve em campo, mas praticou exercícios sem bola. Já Moreira, Talles Costa e Nikão ainda estão no processo de transição com a preparação física. Já o zagueiro Arboleda e o volante Luan se recuperam de cirurgia.

Contratado na última semana, o atacante Marcos Guilherme só poderá atuar a partir do dia 18 de julho, na abertura da janela de transferências.

A boa notícia do último jogo ficou também para o fim dos jejuns dos atacantes Luciano, que não marcava há dez jogos, e Calleri, que não balançava a rede adversária há sete partidas. Antes do duelo com a Católica, o São Paulo enfrentava problemas na produção ofensiva: tinha marcado apenas cinco vezes nos últimos sete jogos.