São Paulo visita a Ponte Preta sob pressão por melhor rendimento no Paulistão

O técnico Rogério Ceni viveu sua semana mais agitada no comando do São Paulo em 2022. O time conquistou, enfim, a primeira vitória no ano e, em meio a críticas pelo rendimento ruim ao longo dos jogos, o treinador se envolveu publicamente em cobranças internas por melhorias estruturais. É nesse clima que a equipe visita a Ponte Preta, neste domingo, às 18h30, no Moisés Lucarelli, pela quinta rodada do Paulistão.

A pressão por melhores resultados e rendimento dentro de campo ainda existe, mas Ceni ganhou pontos com torcedores por cobrar avanços na infra-estrutura do CT da Barra Funda. A postura por exigir excelência gerou incômodos

"Tem departamento que precisa melhorar mesmo. Quando eu cheguei não tinha água na piscina, tinha cadeira e mesa. Eu sou o cara chato que pediu para colocar água na piscina. (...) Talvez, eu incomode esses departamentos. Eu quero o bem do São Paulo", afirmou Ceni, que recebeu apoio do presidente Julio Casares.

"Quando trouxemos o Rogério Ceni, sabíamos do seu nível de trabalho, comprometimento e entrega que ele tem e oferece por onde passa. Buscar a perfeição no que faz, é um dos atributos do seu perfil. O conheço há quase 30 anos e sei o que posso esperar dele".

Dentro de campo, o São Paulo pouco mudou. A equipe até conseguiu sua primeira vitória em 2022 ao derrotar o Santo André por 1 a 0, no Morumbi, mas voltou a mostrar falta de repertório ofensivo contra defesas fechadas, apelando para cruzamentos em demasia, e precisou de um gol do jovem Marquinhos nos minutos finais para aliviar uma pressão ainda maior.

"Primeiro que nós alçamos muitas bolas na área hoje (quarta). Tivemos vantagem em muitas delas. No final do primeiro tempo, nós tivemos três cabeceios passando perto da trave. Hoje menos, mas nos outros jogos temos conseguido preencher a área, e quando uma equipe vem jogar em linha baixa e não consegue entrar no meio, temos as maiores virtudes e fazemos esse balanço, chegando pelo lado do campo", avaliou Ceni.

O gol de Marquinhos serviu também para a possibilidade de ver o jovem de 18 anos recebendo mais oportunidades. Ceni identifica a posição de ponta carente de nomes no elenco e, com os recentes insucessos da diretoria no mercado, a situação pode reservar o espaço que as promessas da Cotia tanto vislumbram.

Marquinhos foi apontado por Ceni após a vitória como um jogador com margem grande para evolução e que ainda vai precisar amadurecer. "É um ótimo menino, bom de trabalhar todos os dias. Precisa melhorar principalmente a tomada de decisões final. É um jogador que tem força, raça, isso ele tem realmente. Sofre um pouco no um contra um, foi coroado com o gol porque trabalha bastante", elogiou.

Para a partida contra a Ponte Preta, Ceni deve novamente rodar a equipe, como tem sido rotina neste início de ano, mas não indicou as mudanças na escalação. O técnico ainda precisa encontrar alternativas para melhorar o rendimento ofensivo do time para além dos cruzamentos em excesso na área adversária.

TABU EM JOGO - Aliviada depois da vitória sobre a Ferroviária, por 2 a 1, em Araraquara, a Ponte Preta tenta engrenar no Paulista contra o São Paulo. O rival traz boas lembranças. Isso porque a última derrota em casa para o São Paulo foi em 2015. Depois disso, os times se enfrentaram cinco vezes no Moisés Lucarelli, com cinco vitórias para a Ponte Preta.

Na disputa por uma vaga nas quartas de final no Grupo D, o time de Campinas tem sete pontos, com duas vitórias, um empate e duas derrotas. Um resultado positivo também traz tranquilidade em relação ao rebaixamento.

Tudo indica que o técnico Gilson Kleina mantenha a formação com três zagueiros. A única dúvida seria na lateral esquerda. Substituído durante o jogo contra a Ferroviária, Guilherme Santos ainda não sabe se reúne condições. Caso seja vetado, o prata da casa Jean Carlos entra de titular.

"Temos de viver um jogo de cada vez. Nós sabemos os percalços que estão acontecendo. É uma equipe em construção ainda, jogadores em busca da forma física ideal ainda. Todos estão trabalhando firme. Próximo jogo é jogo grande, mas nos nossos domínios, onde a Ponte é sempre muito forte", disse Kleina.

Autor do gol da vitória em Araraquara, Ribamar continua como opção no banco de reservas. O destaque é Lucca, artilheiro do Paulistão ao lado de Ronaldo, da Internacional de Limeira, com quatro gols cada um.