Publicidade
Água contaminada

Saúde alerta para o perigo de leptospirose no período de chuvas. Paraná já conta 21 mortes neste ano

Com as fortes chuvas que atingiram diversos municípios do Paraná, principalmente a região de Francisco Beltrão, sudoeste do Estado, a Secretaria de Estado da Saúde recomenda alguns cuidados para evitar doenças decorrentes dos alagamentos e enchentes.

Uma das doenças mais comuns que ocorrem devido às cheias é a leptospirose. Uma infecção que ocorre após a exposição direta ou indireta à urina de animais infectados. A bactéria penetra no corpo humano por pequenos ferimentos na pele ou pelo contato com a água contaminada por longo período.

Apesar da maioria dos casos da doença ter cura após o tratamento adequado, as pessoas que tiveram contato com a água contaminada devem ficar atentas para os principais sintomas da doença. Os sintomas mais comuns são cansaço e calafrios, dores no corpo, sobretudo na panturrilha, fortes dores de cabeça e febre alta, vômitos freqüentes e icterícia. Nestes casos o serviço médico deve ser procurado o mais rápido possível, recomenda a coordenadora da divisão de Zoonoses e Intoxicações, Tânia Portella.

Em algumas pessoas os sintomas reaparecem após dois ou três dias de aparente melhora, podendo evoluir para um quadro grave de insuficiência renal, respiratório e hemorrágico destaca Tânia. Após a infecção, o período de incubação da doença varia de sete a 14 dias após o contato com a água contaminada. A confirmação da doença só é possível com exames laboratoriais realizados uma semana após o início dos sintomas.

Números – No balanço de 2014, foram confirmados 245 casos de leptospirose no Paraná, com 25 mortes pela doença. Em 2015 já foram registrados até o momento 248 casos com 21 mortes pela doença.

Prevenção e cuidados

Cuidados com a água para o consumo humano
Utilização somente de água potável, filtrada, fervida ou clorada para o consumo humano.

Limpeza da lama residual das enchentes
A lama residual das enchentes, de alto poder infectante, adere a móveis, paredes e chão.
Recomenda-se retirar a lama (sempre com a proteção de luvas e botas de borracha) e lavar o local, desinfetando com solução desinfetante e aplicar nos locais contaminados com lama, deixando agir por 15 minutos.

Como fazer a solução desinfetante:
Faça a mistura de água da rede pública e água sanitária, ou hipoclorito de sódio, seguindo as proporções:
Para 25 litros de água, use 250 ml de água sanitária;
Para 50 litros de água, use 500 ml de água sanitária;
Para 100 litros de água, use 1 litro de água sanitária.

Limpeza de reservatórios domésticos de água (caixa d’água e cisternas)
Nas enchentes, o sistema doméstico de armazenamento de água pode ser contaminado, mesmo quando não atingido diretamente pela água da enchente.

Recomendações para a limpeza de caixa d’água:
http://site.sanepar.com.br/informacoes/limpeza-de-caixa-de-agua

Cuidados com os alimentos
Nas enchentes, não se deve reaproveitar os alimentos que entraram em contato com as águas de enchentes.
Como medida de prevenção antes do início das chuvas, o ideal é armazenar os alimentos em locais elevados, acima do nível das águas.

No cuidado geral com os alimentos, algumas medidas tornam-se necessárias:
• Mantê-los devidamente acondicionados e fora do alcance de roedores, insetos ou outros animais;
• Lavar as mãos com água tratada, antes de manipular os alimentos;
• Alimentos enlatados que estiverem amassados, enferrujados, semi-abertos ou com tampas estufadas devem ser inutilizados;
• Fique atento a comidas embaladas por plásticos ou papel, pois não impede que o alimento entre em contato com a água contaminada.

Mais informações:
http://portalsaude.saude.gov.br/images/pdf/2015/julho/14/Lepto-Diagnostico-e-Manejo-Clinico-4.pdf

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES