Scarpa reconhece jogo ruim do Palmeiras, mas confia na vaga: 'Reversível'

A derrota para o São Paulo por 1 a 0 e a apresentação ruim do Palmeiras no Morumbi, uma das piores em 2022, não desanimam Gustavo Scarpa. O meio-campista reconheceu que o rival foi superior, viu falta de efetividade em sua equipe, mas está confiante na reversão do placar no duelo de volta das oitavas da Copa do Brasil.

Scarpa, o maior garçom da Série A, entende que o Palmeiras melhorou depois que levou o gol de Patrick, mas foi pouco. Ele enxergou semelhanças com o panorama do Choque-Rei pelo Brasileirão da última segunda-feira, quando o time alviverde derrotou o São Paulo por 2 a 1, de virada, com dois gols nos acréscimos em um período de cinco minutos. Desta vez, a remontada não veio.

"O jogo foi bem parecido com o de segunda-feira, com eles começando melhor, mais intensos. No segundo, tivemos mais personalidade, que é o que sempre precisamos", avaliou o atleta. "Arriscamos mais, botamos a bola no chão, mas não fomos efetivos como na segunda-feira. Paciência".

Os dois times se reencontram no Allianz Parque no dia 14 de julho. Não há gol marcado fora como critério de desempate. O Palmeiras precisa vencer por dois gols de diferença para reverter a vantagem do São Paulo, que joga pelo empate. Em caso de vitória palmeirense com um gol de vantagem, a decisão da vaga será nos pênaltis.

"Temos mais um jogo e é um resultado reversível", disse o confiante Gustavo Scarpa, ciente de que é possível mais uma vez tirar reverter uma desvantagem frente ao São Paulo. Na decisão do Paulistão, a equipe levou 3 a 1 no primeiro jogo, mas fez 4 a 0 no segundo e levantou a taça.

"Não tem nada perdido. O São Paulo começa muito intensa, o primeiro tempo costuma ser melhor do que o segundo. Acordamos depois que tomamos o gol. A equipe adversária tem mérito. Paciência e tentar virar em casa", acrescentou o meia.