Pandemia

Secretária apoia volta às aulas em Curitiba. Bandeira pode mudar nesta sexta

Márcia durante audiência remota na Câmara de Curitiba
Márcia durante audiência remota na Câmara de Curitiba (Foto: Rodrigo Fonseca/CMC)

Em audiência pública remota na sessão desta quinta-feira (24) na Câmara Municipal de Curitiba, a secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak apresentou o balanço do segundo quadrimestre de 2020. Dos R$ 703.266.075,5 executados no período, R$ 92.443.880,69 (13,1%) foram investidos em ações específicas de enfrentamento à Covid-19.

Durante a apresentação do balanço da saúde, Márcia foi questionada sobre a volta às aulas. Em resposta ela disse que apoia a retomada das aulas e afirma que essa questão é de extrema importância, mas que no Brasil não houve uma discussão adequada sobre o caso. Ela apoia a retomada, mas deixou claro que não cabe mais a pasta da Secretaria de Saúde essa questão.

“Ninguém está falando para voltar à vida normal, todo mundo junto”, disse. “Não estamos falando só da educação formal, estamos falando do papel social que a escola tem na proteção à criança e ao adolescente”, argumentou.

No Paraná, a volta às aulas presenciais está condicionada a pelo menos três semanas com queda significativa dos números de novos casos e mortes.

Nesta sexta-feira (25), também pode ser anunciado a cor da bandeira em Curitiba na semana que vem. Na segunda-feira vence o prazo do decreto que estabeleceu mais sete dias em bandeira laranja na Capital. No total foram três semanas em bandeira laranja, que significa risco e alerta médio para a doença.

Com a bandeira laranja, as atividades precisam obedecer regras mais restritivas com relação ao horário de funcionamento nos dias de semana.
Aos domingos, a maioria das atividades fica suspensa e o máximo que pode funcionar são serviços de delivery e padarias, que podem abrir, mas sem consumo no local.