Em alerta

Secretaria colhe e pesquisa mosquito transmissor da febre amarela no litoral do Paraná

Duas equipes de entomologistas da Secretaria de Estado da Saúde estão coletando mosquitos em áreas de mata e periurbanas (nas periferias de cidades) de todo o Litoral do Paraná, incluindo a região onde foram encontrados os macacos mortos pela febre amarela, em Antonina.

O objetivo, de acordo com o entomologista Allan Martins da Silva, do Laboratório Central do Estado (Lacen-PR), é identificar as espécies silvestres do mosquito que estão na região, e quais são as transmissoras, para tomar medidas de prevenção e controle.

O trabalho também vai mapear a localização dos mosquitos e como se movimentam, com o propósito de monitorar a eventual aproximação deles das zonas urbanas. Os macacos, quando aparecem mortos ou doentes, servem como sentinelas da presença do vírus da febre amarela silvestre.