Imunidade

Secretaria de Saúde reforça a importância da segunda dose da vacina anticovid

Paraná já vacinou 7.611.273 primeiras doses e 3.398.337 de pessoas com a segunda dose
Paraná já vacinou 7.611.273 primeiras doses e 3.398.337 de pessoas com a segunda dose (Foto: Geraldo Bubniak/AEN)

A importância de fechar o esquema vacinal para evitar o agravamento da Covid-19 é fundamental. A preocupação vem porque parte da população que tomou a primeira dose acaba não comparecendo para tomar a segunda.

Mesmo com a disponibilidade de vacinas, não é incomum pessoas que receberam a primeira dose não procurarem pela segunda. Com exceção da Janssen, que confere imunidade contra o coronavírus após 14 dias da única dose, as demais (Coronavac – com intervalo de 21 a 28 dias –, AstraZeneca – com intervalo de 90 dias – e Pfizer – com intervalo de 90 dias) precisam de uma segunda.

No caso da segunda dose da Pfizer e AstraZenca, o Ministério da Saúde já sinaliza para redução neste intervalo, passando de 12 para oito semanas.

Nesse sentido que o secretário Beto Preto alerta a população ao afirmar que não se pode deixar o vírus vencer, é necessário blindar em todas as frentes possíveis. “Por isso, a importância em cumprir na integralidade a vacinação contra o vírus, buscando o fechamento do esquema vacinal. Somente assim, com as duas doses, é que fechamos o escudo da imunidade. Se a primeira dose é importante, a segunda é fundamental”, disse.

A vacinação também está indicada para pessoas que contraíram a doença antes da primeira dose e também entre as duas doses.

Segundo os dados do Vacinômetro nacional, o Paraná já aplicou 11.329.566 vacinas, sendo 7.611.273 primeiras doses (D1), e 3.398.337 segundas doses (D2). Desse total de segundas doses, 1,71 milhão do imunizante AstraZeneca/Fiocruz, que corresponde a 51% do total; 1,49 milhão do Buntantan/Sinovac, com 43,9%; e 175,13 mil foram vacinados com Pfizer/BioNTech, cerca de 5,2% da população vacinal.

“Mediante todos os esforços que estamos fazendo para vacinar toda a população, pedimos que quem já tomou a primeira dose não se esqueça de conferir o calendário para a segunda, que fique atento aos prazos. Uma só dose não tem eficácia plena. Devemos nos proteger de forma correta”, enfatizou o secretário de Estado, Beto Preto.

Boletins

Paraná registra mais 1.567 casos e 32 óbitos

A Secretaria de Estado da Saúde divulgou ontem mais 1.567 casos confirmados e 32 mortes — referentes aos meses ou semanas anteriores e não representam a notificação das últimas 24 horas — em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus. Os dados acumulados do monitoramento da Covid-19 mostram que o Paraná soma 1.464.994 casos confirmados e 37.638 mortos pela doença. 951 pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 estavam internados. Eram 676 pacientes em leitos SUS (394 em UTI e 282 em leitos clínicos/enfermaria) e 275 em leitos da rede particular (138 em UTI e 137 em leitos clínicos/enfermaria).

Curitiba — A Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba não divulgou boletim ontem. Os dados de segunda traziam 674 novos casos de e 14 óbitos em decorrência da Covid. Até o momento foram contabilizadas 7.252 mortes na cidade e 284.293 moradores de Curitiba que testaram positivo para a covid-19 desde o início da pandemia, dos quais 269.617 estão liberados do isolamento e sem sintomas da doença. Eram 7.424 casos ativos na cidade e a taxa de ocupação de UTIs/Covid estava em 66%.

Brasil — O boletim do Ministério da Saúde divulgou ontem 14.430 novos casos e 250 mortes pela Covid. O Brasil tem agora, no total, 20.928.008 de casos e 584.421 mortes em decorrência da doença desde o início da pandemia.