Publicidade
Carreira & Cia.

Segundo maior empregador brasileiro, setor de limpeza aposta em reação do mercado para crescer

Presidente Adonai Arruda
Presidente Adonai Arruda (Foto: Divulgação)

Com qualificação profissional que acompanha modernização e automatização do trabalho, Fundação de Asseio e Conservação Serviços Especializados e Facilities do Paraná completa 18 anos e fomenta um dos setores que mais emprega no país. São mais de dois milhões de trabalhadores com trabalho formal em 13 mil empresas espalhadas pelo território brasileiro. Esse exército formado por profissionais da limpeza, jardineiros, recepcionistas, seguranças e outros trabalhadores do ramo dos facilities movimenta a economia brasileira e garante o asseio e a conservação de todos os ambientes - desde os edifícios públicos, às escolas e estabelecimentos comerciais. Em 18 anos de atuação, a FACOP já capacitou cerca de 90 mil profissionais do setor paranaense e encaminhou 20 mil para postos de trabalho do segundo mercado que mais gera empregos formais no Brasil, ficando atrás apenas da construção civil. A oferta de capacitação gratuita é fruto de uma parceria única, que reúne esforços dos sindicatos patronal e laboral a fim de gerar mais qualidade na prestação de serviços e reconhecimento dos trabalhadores da área. Em entrevista, Adonai Arruda, co-fundador e presidente da organização desde a fundação, em 2002, fala sobre o trabalho sócio econômico que está por trás das ferramentas de capacitação profissional e traça perspectivas para 2020.


A FACOP é um caso inédito em todo mundo por nascer da união de um sindicato patronal e um sindicato laboral. O que motivou essa união?

Normalmente se avaliam o lado patronal e o lado laboral como adversários, mas esse sempre foi um conceito que não existiu entre nós. Se as empresas não existem, os trabalhadores não existem e sem os trabalhadores, as empresas não se desenvolvem. Nós compreendemos que existe uma relação de interdependência entre empresários e trabalhadores do setor e isso nos deu maturidade para inovar e criar a única fundação no mundo com essas características. Para os empresários, que são os empregadores do setor, fomentamos a mentalidade de valorização de cada profissional de forma humana. As empresas dependem da mão-de-obra para entregar um serviço de qualidade ao cliente final. Sem essas pessoas não existem serviços, não existe empresa, resultados, nem clientes. E o mais importante: não existe limpeza, que é uma necessidade básica de todos nós, em todos os setores da vida pública e privada. Esse serviço precisa ser valorizado. Por outro lado, os empregados representados pelo sindicato laboral entenderam que precisam das empresas para manter seus postos de trabalho, sua remuneração e a perspectiva de crescimento pessoal e profissional. O que a FACOP fez foi reunir essas duas necessidades e criar um ambiente de ganha-ganha, onde as pessoas são valorizadas e aprendem a se valorizar com dignidade e respeito. Nossa força de trabalho vêm da base da pirâmide, tanto em termos econômicos quanto culturais e a FACOP oferece o aprimoramento do trabalho com senso de dignidade profissional: essa é a diferença. Por mais que a modernização avance, com robotização, por exemplo, a dignidade da pessoa humana permanece fundamental.


Como a FACOP atua no Paraná?
No Paraná, a FACOP tem papel essencial na articulação entre qualificação, reconhecimento profissional e empregabilidade em diversas cidades do Paraná. Só em 2018 emitimos 13.954 certificados de conclusão de cursos que têm o fator comportamental e ético como fio condutor. Em 2019 o número chegou a 14.952. O cerne da FACOP é a educação profissionalizante. Porém, mais do que tudo, ela busca inserir na compreensão do indivíduo a consciência de sua dignidade profissional. E como nós entendemos que o processo é mais amplo e complexo, criamos uma Central de Emprego - conectando a oferta de vagas ao setor a profissionais capacitados - e o Serviço Especializado de Segurança e Medicina do Trabalho (SESMT Coletivo), que traz segurança e saúde de forma especializada. Então, a FACOP propicia todo suporte a profissionais do setor, além de desenvolver ações de impacto positivo para comunidade como um todo, sendo organização comprometida com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU. E nossa atuação não se limita ao âmbito estadual. Somos referência nacional e temos representatividade internacional, em ações que prometem se intensificar esse ano.


O que o setor de limpeza representa para a economia brasileira?
O setor de limpeza, conservação e facilities é o segundo que mais emprega no Brasil, só perdemos para construção civil. São cerca de dois milhões de empregos formais em 13 mil empresas. Tivemos um bom impulso no começo da década, com mercado aquecido, o setor oportunizou forte alavancagem na oferta de empregos, gerando cerca de 250 mil vagas entre 2009 e 2014: só em 2010 foram gerados 93 mil empregos em todo Brasil. Com a crise perdemos postos de trabalho por três anos consecutivos, de 2015 a 2017. A recuperação começou no primeiro semestre de 2018, com mais de 20 mil novos empregos para o setor. A expectativa para 2020 é aproveitar a retomada da construção civil gerando mais emprego, qualificação e, principalmente, valorização dos trabalhadores da área. Estamos confiantes que o segundo semestre será promissor e que o setor dos serviços terá uma resposta rápida.

Com a colaboração da Jornalista Ester Athanásio da DePropósito Comunicação de Causas. 


Curtas:

* A Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) está com as inscrições abertas para o Processo Seletivo Especial para Jovens da Vila Torres. Com o objetivo de desenvolver uma sociedade mais justa, a iniciativa da área de Identidade da PUCPR proporciona aos jovens moradores da Vila Torres a oportunidade de ingressar no ensino superior com bolsa de estudos integral, além de uma bolsa permanência no valor de R$400,00.Processo Seletivo Especial para Jovens da Vila Torres. Inscrições: até 13 de fevereiro. Provas: 15 de fevereiro. Inscrição: http://bit.ly/2OpMzcG

* As lojas Assaí Atacadista em todo o Brasil já reforçaram os estoques e ampliaram a oferta de bebidas em suas gôndolas. O foco é o carnaval de rua. Para atender os comerciantes que irão se abastecer para trabalhar no feriado prolongado, o Assaí comprou 15% a mais em volume de bebidas, na comparação com o mesmo período do ano passado. Nas unidades da rede, as cervejas e refrigerantes em lata, assim como as garrafas de água, itens mais buscados pelos ambulantes, estão entre as bebidas mais vendidas no período.

* Dooplace chega ao mercado como "Airbnb" dos profissionais e espaços comerciais. Plataforma gratuita permite a proprietários cadastrarem salas, escritórios, consultórios e demais espaços de trabalho para compartilhamento com empreendedores, autônomos e profissionais liberais. Conheça a Dooplace: www.dooplace.com.br


Frase:

"Felicidade é ter algo o que fazer, ter algo que amar e algo que esperar..."
(Aristóteles)


Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES