Publicidade
Tradição

Sem festa em tempos de Covid-19, Mercado Municipal faz 62 anos neste domingo

(Foto: Luiz Costa/SMCS)

O Mercado Municipal de Curitiba comemora, neste domingo (2), 62 anos de atividades e de referência para curitibanos e turistas quando assunto é hortifrutigranjeiros, cereais, carnes, peixes, especiarias e comidas de todas as partes do mundo. Devido à pandemia do novo coronavírus, o tradicional espaço da Prefeitura não está abrindo aos domingos (Decreto 940), mas de terça a sábado é possível fazer compras no local com todos os cuidados necessários para evitar aglomerações e proteger fregueses e funcionários.

De acordo com o prefeito Rafael Greca, mesmo sem festa neste ano para celebrar a data, é preciso comemorar o aniversário do Mercado Municipal, devido à excelência dos alimentos e dos serviços oferecidos pelos comerciantes do espaço.

"São décadas de história e de vidas que se entrelaçam, ligando frequentadores, permissionários e trabalhadores que transformaram o Mercado Municipal em um dos principais centros de compra da cidade e referência em todo o país", afirma Greca.

O prefeito destaca ainda a parceria da Secretaria Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional (SMSAN), responsável pelo local, com a Associação dos Comerciantes Estabelecidos no Mercado Municipal de Curitiba (Ascesme).

"Nestes quatro anos, várias ações foram promovidas, como a remodelação da fachada da Rua General Carneiro, a criação de um calendário de eventos e a melhoria do trânsito na região", lembra ele.

O presidente da Ascesme, Cleverson Augusto Schilipacke, conta que atualmente são 192 comerciantes permissionários que vendem mais de 72 mil itens. Nas bancas e boxes, é possível adquirir hortifrutigranjeiros, bebidas, queijos e vinhos de diversas procedências, ervas medicinais, temperos e especiarias, iguarias, conservas, pescados, embutidos e carnes exóticas e com cortes especiais.

"O Mercado Municipal reúne cores, sabores, aromas e sons. Permissionários que têm suas tradições e origens nos quatro cantos do mundo, e que muito representam a nossa cultura curitibana e jeitinho de ser”, completa.

Os frequentadores podem conferir ainda pratos de inúmeros restaurantes que são referências gastronômicas da capital. “Além disso, o Mercado Municipal é um espaço pioneiro, pois foi o primeiro do gênero no País a receber um setor de orgânicos”, acrescenta do secretário municipal de segurança alimentar e nutricional, Luiz Gusi.

Pandemia
Com limite de clientes e controle nas entradas, o Mercado Municipal de Curitiba pode receber até 300 pessoas por vez, de terça-feira a sábado, das 8h às 18h. Se o número limite for alcançado, filas são organizadas na parte externa com marcação no solo – para, assim, respeitar o distanciamento mínimo de 1,5 metro.

Outra restrição é a quantidade de pessoas trabalhando dentro do espaço. Esse número varia, conforme o tamanho do boxe. Fregueses e funcionários precisam usar máscaras. Álcool em gel é ofertado em vários pontos do espaço e informações de prevenções e cuidados estão afixados em locais visíveis.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES