Série B

Sem técnico e com surto de Covid, Paraná perde para a Ponte Preta e acumula sexta derrota consecutiva na Série B

Camilo comemora gol que deu vitória para a Ponte diante do Paraná no Moisés Lucarelli
Camilo comemora gol que deu vitória para a Ponte diante do Paraná no Moisés Lucarelli (Foto: PontePress/ÁlvaroJr)

O calvário paranista na Série B persiste. Na noite desta sexta-feira (4 de dezembro), o sofrimento foi diante da Ponte Preta de Marcelo Oliveira, em partida disputada no Moisés Lucarelli e que terminou com vitória por 2 a 1 para os paulistas. A grande estrela do jogo foi Bruno Rodrigues, jogador revelado pelo Athletico e que na última temporada esteve no Paraná. Ele fez um gol e deu uma assistência para Camilo, enquanto Jhony Douglas descontou para os visitantes.

Estacionado nos 29 pontos após 26 rodadas da Série B, o Tricolor da Vila Capanema aparece apenas na 16ª colocação do campeonato, enquanto a Ponte Preta, com 40, alcança o sexto lugar. Até o final da rodada, contudo, é possível que o time paranaense se aproxime perigosamente da zona de rebaixamento: no domingo, às 18h15, Figueirense e Náutico se enfrentam no Orlando Scaperlli. Os catarinenses estão em 18º, com 22 pontos, e os pernambucanos em 17º, com 24.

SEM TÉCNICO

Para o jogo desta sexta-feira, o Tricolor da Vila Capanema ainda não contou com o técnico Gilmar Dal Pozzo, contratado para substituir Rogério Micale. Dessa forma, quem esteve no comando do time no banco de reservas foi o auxiliar Victor Annes, o “Vitão”. A tendência é que o novo treinador seja oficializado neste sábado para então dar início ao trabalho no clube.

A estreia de Dal Pozzo, então, deve acontecer contra o Figueirense na quarta-feira, na Vila Capanema, em confronto direto na luta contra o rebaixamento. Um dia antes, quem entra em campo é a Macaca para encarar o Botafogo de Ribeirão Preto.

CONTRASTE

A lembrança do confronto entre as equipes no primeiro turno traz um contraste perfeito entre os momentos que o Paraná atravessou e atravessa dentro da Série B. No dia 1º de setembro, quando se enfrentaram na Vila Capanema, o que estava em disputa era um lugar no G4 da competição. Os paranaenses acabaram levando a melhor e venceram por 2 a 1, chegando a dividir naquela rodada a liderança do campeonato com o Cuiabá. Hoje, é o 16º colocado e a situação só não é mais complicada porque o Náutico, 17º, está hoje cinco pontos atrás (os pernambucanos, contudo, ainda entram em campo no domingo para enfrentar o Figueirense).

ESCALAÇÃO

Para o duelo no Moisés Lucarelli, o Paraná entrou em campo com sete novidades: Kaio, Rafael Lima, Hurtado, Juninho, Jhony Douglas, Luan e Vitinho Mesquita. O número de alterações era reflexo da grande quantidade de desfalques. Ao todo, 12 jogadores não estiveram disponíveis, seis deles por Covid-19 (Salazar, Fabrício, Guilherme Lacerda, João Victor, Matheus Matias e Bruno Lopes), três por lesão (Paulo Henrique, Toninho e Bruno Gomes) e três por suspensão (Andrey, Philipe Maia e Thiago Alves).

Por outro lado, na Ponte Preta o técnico Marcelo Oliveira conseguiu praticamente repetir a escalação do time que na última rodada ficou no empate em 1 a 1 contra o Sampaio Corrêa. A única mudança foi Guilherme Pato no lugar de Luan Dias no setor ofensivo.

O JOGO

O Paraná teve mais posse de bola no começo de jogo, mas ficou muito tempo em seu próprio campo e, para piorar, ainda sofreu o gol inaugural logo na primeira descida do time paulista ao ataque, aos onze minutos. O tento foi marcado por Bruno Rodrigues, que fez valer a famosa ‘lei do ex’ e, inclusive, não comemorou em respeito ao clube que defendeu na última temporada.

Com o placar aberto, a Macaca optou pela cautela e desacelerou na busca pelo ataque, controlando mais a partira e procurando não expor o setor defensivo a qualquer tipo de risco. O time visitante, por sua vez, tinha grande dificuldade para desenvolver o jogo, trocar passes e até mesmo conseguir avançar com a bola para além da intermediária.

O resumo da ópera, basicamente, era uma partida mais brigada do que jogada. Mas num inesperado erro defensivo (e num lance em que o árbitro marcou uma discutível falta a favor do Paraná), o gol de empate acabou saindo, aos 42 minutos, em lindo chute de Jhony Douglas: 1 a 1.

Na volta do intervalo, a primeira substituição no time da casa, com Moisés no lugar de Guilherme Pato. Marcelo Oliveira ainda colocaria Yuri (aos 16), Luís Oyama (aos 16), Luan Dias (aos 34) e Wanderley (aos 45) nos lugares de Guilherme Lazaroni, Dawhan, Camilo e João Veras, respectivamente.

Já Vitão, técnico interino paranista, mexeu pela primeira vez no time visitante aos 11 minutos e fez logo uma substituição dupla, com Higor Meritão no lugar de Luan e Lucas Sene na vaga de Wandson. Até o apito final, ainda entrariam em campo Kazu (aos 19), Guilherme Biteco (aos 19) e Léo Castro (aos 24) nos lugares de Karl, Vitinho Mesquita e Jhony Douglas.

Apesar da dificuldade ofensiva, o Paraná conseguia apresentar alguma segurança defensiva, era pouco agredido. Mas assim como ocorrera na primeira etapa, a Ponte Preta, logo em seu primeiro ataque mais perigoso, aos 17 minutos, conseguiu o gol. E novamente com participação decisiva do ex-paranista Bruno Rodrigues, que acertou cruzamento perfeito para Camilo usar a cabeça e colocar o 2 a 1 para os paulistas no placar.

Até o final da partida, a equipe de Campinas ainda teria mais duas chances de gol, aos 31 e aos 33 minutos, com direito a bola na trave no primeiro lance. O time de Curitiba, por outro lado, pouco fez para tentar um empate.

FICHA TÉCNICA

Ponte Preta 2 x 1 Paraná Clube

Ponte Preta: Ygor; Apodi, Wellington Carvalho, Ruan Renato e Guilherme Lazaroni (Yuri); Dawhan (Luís Oyama), Neto Moura e Camilo (Luan Dias); Guilherme Pato (Moisés), Bruno Rodrigues e João Veras. Técnico: Marcelo Oliveira
Paraná: Filipe; Kaio, Rafael Lima, Hurtado e Juninho; Jhony Douglas (Léo Castro), Karl (Kazu) e Luan (Higor Meritão); Vitinho Mesquita (Guilherme Biteco), Renan Bressan e Wandson (Lucas Sene). Técnico: Victor Annes
Gols: Bruno Rodrigues (11-1º), Jhony Douglas (42-1º), Camilo (17-2º)
Cartões amarelos: Vitinho Mesquita (P)
Árbitro: Gilberto Rodrigues Castro Junior (PE)
Local: Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP), sexta-feira (04/12) às 21h30

PRINCIPAIS LANCES

Primeiro tempo

11 - Gol da Ponte Preta! Descipa pela direita entre Apodi e Guilherme Pato, que cruza para Camilo. A bola passa por todo mundo e sobra para Bruno Rodrigues, sozinho dentro da área, bater de chapa, no ângulo.

14 – Cobrança de falta da intermediária de Vitinho. A bola viaja até a área e encontra a cabeça de Luan, que cabeceia forte. Ygor espalma e salva a Ponte.

21 - Cruzamento de Guilherme Lazaroni e Dawhan cabeceia em cima de Filipe.

42 - Gol do Paraná! Cobrança de falta próximo da área, perto da linha lateral. Renan Bressan manda para a área, Apodi tenta afastar e rebate mal. A sobra fica com Jhony Douglas, que chuta bonito, de peito do pé, no canto.

Segundo tempo

17 – Gol da Ponte Preta! Bruno Rodrigues recebe na esquerda, olha para a área e cruza na medida para Camilo, bem posicionado no meio da zaga, cabecear no canto.

27 - Ponte Preta pressiona a saída de bola paranista. O zagueiro recua a bola para o goleiro Filipe, que demora para tomar uma decisão e quase perde a bola dentro da área.

31 - Cobrança de escanteio da esquerda, o goleiro Filipe bate cabeça com o zagueiro e a bola sobra para Moisés, que chuta mascado na trave.

33 - Bruno Rodrigues avança pela esquerda, vê a corrida de Moisés e manda uma bola cavada. O atacante recebe na frente, em boa posição, tenta por cobertura e para no goleiro Filipe.