Publicidade
Mês da consciência

Semana celebra a igualdade racial em Curitiba; turismo tem 'linha preta'

Durante esta semana, até domingo, o Centro Histórico de Curitiba será palco de discussões, oficinas, shows e uma feira literária para celebrar a cultura negra na cidade. As atividades fazem parte da programação da Prefeitura do Mês da Consciência Negra.

O ponto alto da celebração será a Festa do Rosário, que começa amanhã e segue até domingo, no Largo da Ordem. Esta será a décima edição consecutiva da festa, que é promovida pelo Centro Cultural Humaitá - Centro de Estudo e Pesquisa da Arte e Cultura Afrobrasileira e diversos parceiros.

A Prefeitura, por meio da Assessoria de Direitos Humanos – Promoção da Igualdade Racial apoia a Festa do Rosário. Esse ano a novidade será a Feira Literária Afro-paranaense (Flap) que nos quatro dias da festa vai apresentar a produção de livros paranaenses sobre a temática afro

A abertura oficial da Flap será às 18 horas de amanhã, no Memorial de Curitiba. Nos dias 15 e 16 a feira vai funcionar das 9 às 18 horas e no doming, das 9 às 15 horas.

“Em novembro, Curitiba terá cerca de 150 eventos para refletirmos sobre igualdade racial e enfrentamento ao racismo”, diz Marli Teixeira Leite, assessora da Promoção e Igualdade Racial da Prefeitura.

Lavagem das escadarias
No domingo, será feita a tradicional lavação das escadarias da antiga Igreja do Rosário dos Pretos de São Benedito, no Largo da Ordem. A lavação está programada para começar às 9h30. Logo após será feito um ato inter-religioso na igreja, seguido de um cortejo com os Batuqueiros da Fonte da Memória. O cortejo sai da Igreja do Rosário até as Gameleiras (Iroko) da Praça Tiradentes.

'Linha Preta'
Além disso, desde 2017 Curitiba tem um percurso turístico que percorre a chamada Linha Preta, roteiro com os principais pontos históricos da população negra em Curitiba. O trajeto fica no Centro da cidade e pode ser feito todo a pé.

Roteiro

Linha Preta: um passeio pela história da população negra de Curitiba
1 – Ruínas de São Francisco
As Ruínas de São Francisco são, na verdade, uma construção inacabada. É inegável a participação de trabalhadores negros na construção
Endereço: Praça João Cândido, 0 – São Francisco

2 – Igreja do Rosário
A Igreja do Rosário, em Curitiba, inicialmente chamada de Igreja do Rosário dos Pretos de São Benedito, foi patrocinada, projetada e construída por pessoas negras, em 1737
Endereço: Praça Garibaldi – São Francisco

3 – Arquitetura do Largo da Ordem
Em relação à arquitetura, a contribuição mais conhecida dos povos africanos no Brasil está associada à introdução de técnicas de construção que usavam o adobe e a taipa
Endereço: Cavalo Babão – R. Kellers, s/n – São Francisco

4 – Memorial de Curitiba
Inaugurado em 1996 o Memorial de Curitiba tem um projeto arquitetônico inspirado no pinheiro paranaense. A população negra, contudo, é retratada de forma estereotipada
Endereço: Rua Claudino dos Santos, 79 – Centro

5 – Bebedouro
A construção do bebedouro data de meados do século XVIII e era bastante utilizado por tropeiros, inclusive negros, em passagem pela cidade para dar de beber a seus animais
Endereço: R. José Bonifácio, 33 – Centro

6 – Praça Tiradentes
A Praça Tiradentes passou por um processo de ressignificação nos últimos anos pela comunidade negra de Curitiba, especialmente por pessoas ligadas aos movimentos sociais
Endereço: Praça Tiradentes – Centro

7 – Arcadas do Pelourinho
O Pelourinho da Vila Nossa Senhora da Luz dos Pinhais, Localizado na Praça José Borges de Macedo, ao lado do Paço da Liberdade, era local de punição a negros rebelados
Endereço: Praça José Borges de Macedo – Centro

8 – Água pro Morro
Água pro Morro (1944) é uma criação do artista curitibano Erbo Stenzel. A escultura mostra uma bela jovem negra com uma lata d’água sobre a cabeça
Endereço: Praça Generoso Marques – Centro

9 – Praça Zacarias – Chafariz
A praça ainda preserva outro elemento importante que marca a presença negra no Paraná, um antigo chafariz que faz alusão ao primeiro sistema de água encanada de Curitiba
Endereço: Praça Zacarias – Centro

10 – Praça Santos Andrade
Na Praça Santos Andrade há um pequeno monumento em homenagem a “Colônia Afro-Brasileira”
Endereço: Praça Santos Andrade – Centro

11 – Praça 19 de Dezembro
A estátua do Homem Nu representa o Paraná dando um passo em direção ao futuro, mas possui traços negros bem destacados
Endereço: Praça 19 de Dezembro – Centro

12 – Sociedade Beneficiente Treze de maio
Conscientes de que precisavam se organizar para defender seus direitos e sua identidade, sua cultura e sua memória, a população negra criou associações e clubes sociais
Endereço: R. Des. Clotário Portugal, 274 – Centro

13 – Memorial Africano
O maior portal africano do mundo foi inaugurado em Curitiba, em 2010, na praça Zumbi dos Palmares, Pinheirinho
Endereço: Rua Lothário Boutin, 374 – Pinheirinho

14 – Viaduto Cultural Capanema
Antes da construção do Viaduto Capanema, nas décadas de 30, 40, 50, o local abrigava os ensaios da primeira escola de samba de Curitiba,
Endereço: Cristo Rei, Curitiba

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES