Coxa

Semana decisiva marca fim do centenário do Coritiba

O ano do centeário coxa-branca está chegando ao fim, e esta semana em especial promete muitas emoções. Mas nada de futebol. As emoções estão nos bastidores. Vão de manifestações da torcidas a julgamentos no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), passando pelo processo eleitoral (ver ao lado) e pela prisão de arruaceiros.
Ontem, torcedores coxas-brancas promoveram um abraço simbólico ao estádio Couto Pereira. A causa dessa manifestação era tentar reconstruir a imagem deixada pelos baderneiros que causaram depredação em campo após a última partida do Coritiba pelo Brasileirão, diante do Fluminense. O empate em 1 a 1 empurrou o time paranaense para a Série B.
“O que causou o problema foi a impunidade”, afirmou ontem o torcedor José Carlos Mazza, um dos milhares de torcedores que apareceram no local — nem a polícia nem dirigentes foram vistos. “Não é preciso inventar leis, é só cumprir o que está escrito“, completou. No sábado, mais 15 torcedores identificados através das imagens da imprensa, foram presos.
Esse quebra-quebra, por sinal, foi o motivo pelo qual o presidente do Coritiba, Jair Cirino dos Santos, declarou guerra à Império Alviverde, a maior torcida organizada do clube. A guerra chegou a tal ponto que Cirino avisou que vai despejar a torcida. A sede da Império Alviverde era em uma sala localizada no lado de fora do próprio Couto Pereira. O dirigente afirma que tenta forçar a saída dos torcedores através de um acordo, que seria costurado a partir de hoje. Mas, se houver resistência, ele diz que pretende entrar com uma ação na Justiça.
A baderna também será o tema do dia de amanhã. Por causa dos distúrbios, haverá o clube será julgado no STJD. O caso foi incluído em três artigos do Código Brasileiro de Justiça Desportiva e em um do Estatuto do torcedor, e pode render uma punição pesada: perda de 30 mandos de campo no Brasileirão — ou seja, até meados do campeonato de 2011 — e multa de até R$ 620 mil. Para se defender, o Coritiba aposta nos advogados Gustavo Naladin (diretor jurídico do clube) e Itamar Cortes. Além disso, contratou também o advogado José Mauro Couto Filho, vice jurídico do Botafogo.
Na quarta-feira, dia seguinte ao julgamento, o Coritiba deverá tentar recursos junto ao STJD, dependendo do resultado do julgamento de amanhã. É, também, o último dia para tentar liberar o estádio para o Campeonato Paranaense. O local está interditado pelo STJD — que entra em recesso a partir de quinta-feira.

O diário do Coritiba
Sábado, 12/12
Identificados pela polícia, quinze torcedores do Coritiba são presos, acusados de terem causado os distúrbios no último jogo. A polícia faz uma batida na sede da Império Alviverde e encontra também armas e drogas.

Domingo, 13/12
Torcedores dão um abraço no Couto Pereira, jurando lealdade ao clube e desprendimento do grupo que causou a baderna após o rebaixamento.

Segunda-feira, 14/12
Por ordem do presidente Jair Cirino dos Santos, o Coritiba pretende executar o despejo da torcida Império Alviverde, cuja sede funciona nas dependências do Couto Pereira.

Terça-feira, 15/12
O Coritiba será julgado no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). Pode ser punido com a perda de 30 mandos de campo e com o pagamento de multa de até R$ 620 mil. Atualmente, o estádio está interditado pelo Tribunal.

Quarta-feira, 16/12
Último dia para inscrição de chapas para concorrer às eleições do Coritiba, marcadas para o dia 21. Também é o último dia de expediente no STJD — portanto, o último dia para se entrar com recursos acerca do julgamento do dia anterior.

Segunda-feira, 21/12
O Coritiba realiza eleições para presidente, apenas entre os conselheiros. Jair Cirino, atual mandatário, concorre à reeleição. A princípio, não teria um adversário. Entretanto, Domingos Moro (derrotado no pleito de 2007) também cogita concorrer.

NO COUTO
Copa do Brasil
O Coritiba conheceu na sexta-feira seu primeiro adversário na Copa do Brasil 2010: o Luverdense (MT). O jogo de estreia será em 24 de fevereiro, na cidade de Lucas do Rio Verde. Se o time paranaense vencer por dois ou mais gols de vantagem, consegue a vaga sem pre cisar disputar a partida de volta. Do contrário, terá um problema nas mãos, já que ainda não sabe se poderá usar o Couto Pereira, interditado pelo STJD.