Publicidade
Parando de novo

Servidores da saúde aprovam greve em Curitiba

Os servidores da saúde de Curitiba decidiram em assembleia realizada na noite desta quinta-feira (26) aprovar a retomada da greve, suspensa em 3 de fevereiro deste ano. Segundo o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba (Sismuc), a paralisação acontecerá porque a Prefeitura de Curitiba não cumpriu com os acordos feitos anteriormente.

Segundo o Sismuc, a Prefeitura não
pagou os novos pisos de forma retroativa, conforme acordo registrado em ata, e os servidores da saúde, ao invés de terem aumento salarial, foram prejudicados financeiramente. Por isso, os trabalhadores decidiram retomar a greve um dia após se esgotar o prazo para a gestão Gustavo Fruet quitar suas dívidas com os servidores municipais.

Na segunda-feira, os trabalhadores se reuniram com o poder municipal. Segundo notícia publicado pelo Sismuc, o encontro foi tenso. De acordo com a reportagem, o diálogo caminhava enquanto a administração prestava esclarecimentos sobre as distorções observadas pelos trabalhadores nos contracheques provisórios, mas a coisa degringolou quando o assessor Caio Zerbato, em nome da Secretaria de Recursos Humanos, anunciou que os reajustes retroativos viriam somente em abril.

A postura do RH comprova que nunca houve disposição da Prefeitura em cumprir os acordos registrados na
ata da negociação do dia 03/02/2015. Essa atitude só reforça a crise de credibilidade dos servidores com a atual administração municipal", critioua Irene Rodrigues, coordenadora do Sismuc. 

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES