Sob pressão, Fluminense vai atacar Criciúma para evitar vexame na Copa do Brasil

O Fluminense entra em campo neste sábado, às 16h30, no Maracanã, com um pressão que há tempos não sofria. Precisa vencer o Criciúma, convencer, e evitar o vexame da eliminação nas oitavas de final da Copa do Brasil diante de um rival da Série C. Roger Machado está sendo fortemente cobrado e promete colocar o time no ataque na busca da vaga. Sem paciência, a torcida cobrou o elenco no trabalho de quinta-feira e exigiu a classificação.

O treinador perdeu a confiança de boa parte dos torcedores, cansados do futebol sem resultados da equipe e que faz coro por sua demissão. Os duelos decisivos contra o Criciúma, neste sábado, e na Copa Libertadores, terça-feira, parecem ter feito os dirigentes darem um voto de confiança ao comandante, crente em ambas classificações.

O duelo com o Cerro Porteño está encaminhado após 2 a 0 em Assunção. O problema mesmo está neste sábado. A equipe perdeu por 2 a 1 em Santa Catarina, com seu gol sendo bastante questionado, e numa apresentação muito aquém do esperado. Para piorar, são quatro jogos sem triunfos como mandante.

Desencantar após 40 dias será vital para levar a decisão ao mesmo aos pênaltis - qualquer resultado com diferença mínima faz o classificado sair nas penalidades. Roger promete uma postura diferente, com sufoco pela vaga direta desde o apito inicial.

Se espelha no duelo de Assunção. Ganhou por 2 a 0 do Cerro e quer placar igual agora. O problema é a falta de efetividade do ataque tricolor. Nos últimos 20 jogos, em apenas 25% das vezes o setor conseguiu marcar mais de um gol. E só em quatro anotou a vantagem que daria vaga direta. Foram três 2 a 0 e um 3 a 1.

Apesar de falar em futebol ofensivo, Roger Machado não deve mexer na escalação em relação ao primeiro jogo. Ao menos, esconde o time. Caio Paulista está machucado e há a dúvida se investe em Abel Hernández na frente, sacando Fred ou ousando com dois goleadores.

Após protestos da torcida no treino de quinta-feira, o Fluminense optou por interromper a colocação de faixas e bandeiras no Maracanã na sexta-feira após torcedores se desentenderem no estádio. O clima está quente, alguns jogadores também são bastante questionados, e Roger terá de se sobressair. À diretoria, garantiu uma boa vitória.

Já o Criciúma aposta na força do seu conjunto para eliminar seu terceiro rival na competição. Paulo Baier investirá na base que ganhou o primeiro jogo, por 2 a 1. Arilson, machucado e substituído no Heriberto Hulse, deve abrir chance para Dudu Figueiredo.

A ordem é se resguardar bem atrás e investir nos contragolpes, com capricho. E, se a decisão for para o pênaltis, os catarinenses se dizem prontos e confiantes após dois avançados nos tiros livres nas etapas anteriores.