Publicidade
Luiz Fux

Supremo manda suspender apuração sobre movimentação financeira de Fabrício Queiroz

(Foto: Supremo)

O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou a suspensão do procedimento investigatório instaurado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro para apurar movimentações financeiras de Fabricio Queiroz considerada "atípicas" pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf). O pedido foi feito pela defesa de Flávio, filho do presidente Jair Bolsonaro. A medida atinge também aos outros 75 assessores da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) apontados na operação Furna da Onça. 

A decisão da suspensão relata que o processo fique suspenso até que o relator da Reclamação, minsitro Marco Aurélio do Mello, se pronuncie. A determinação foi do ministro Luiz Fux. O Ministério Público não informou o que motivou a decisão cautelar proferida nos autos da Reclamação de nº 32989. "Pelo fato do procedimento tramitar sob absoluto sigilo, reiterado na decisão do STF, o MPRJ não se manifestará sobre o mérito da decisão", informou o órgão, por meio de nota.

Leia a íntegra de nota divulgada pelo Ministério Público do Rio de Janeiro

Nota de esclarecimento

Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) informa que em razão de decisão cautelar proferida nos autos da Reclamação de nº 32989, ajuizada perante o Supremo Tribunal Federal (STF), foi determinada a suspensão do procedimento investigatório criminal que apura movimentações financeiras atípicas de Fabricio Queiroz e outros, “até que o Relator da Reclamação se pronuncie”.

Pelo fato do procedimento tramitar sob absoluto sigilo, reiterado na decisão do STF, o MPRJ não se manifestará sobre o mérito da decisão.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES