Publicidade
Transporte Coletivo

Tarifa reduzida do ônibus atrai mais passageiros em Curitiba, mostra levantamento

(Foto: Valdecir Galor/SMCS)

As seis primeiras linhas de ônibus a operar com a tarifa reduzida fora do horário de pico obtiveram bons resultados. Levantamento da Urbanização de Curitiba (Urbs) mostra que em 45 dias as linhas atingiram o equilíbrio técnico financeiro, ou seja, a diferença entre a arrecadação média anterior e a atual (com a redução da tarifa) é mínima.

“Isso ocorreu porque conseguimos trazer para essas linhas novos passageiros, que quiseram aproveitar a tarifa reduzida. O aumento do movimento, como esperávamos, possibilitou compensar a redução do valor da passagem”, diz o presidente da Urbs, Ogeny Pedro Maia Neto.

A Urbs fez o levantamento nas linhas 212- Solar, 213 – São João, 214 – Tingui, 265 – Ahú-Los Angeles, 461- Santa Bárbara e 965 – São Bernardo, as primeiras a adotarem a redução, a partir de 16/10. O levantamento de fluxo foi realizado até 29/11. Ao todo, essas linhas atendem 18 mil passageiros por dia.

Com a redução, houve um acréscimo, em média, de 134 passageiros por dia útil. Isso significa 3 mil passageiros pagantes a mais nas seis linhas em um mês (22 dias úteis).

A tarifa reduzida, de R$ 3,50 – R$ 1 a menos do que a normal – vale para os horários de 9h às 11h e das 14h às 16h e para pagamento exclusivo com o cartão-transporte usuário.

Segundo a Urbs, as linhas escolhidas cruzam muitos bairros, têm um bom volume de passageiros e uma diferença acentuada entre o número de usuários no horário de pico e fora dele.

Todas estas linhas tinham queda média de 21% a 27% nos horários entre picos, enquanto a média do sistema total é de 18%. “Com a tarifa reduzida conseguimos reduzir essa queda de passageiros nesses horários de 27% para até 15%”, diz Maia Neto.

Outras cinco linhas também tiveram a tarifa reduzida em 3/12, mas, como a mudança é recente, não foram avaliadas. As linhas escolhidas foram 661 - V. Lindóia; 662 - Dom Ático; 666 - Novo Mundo; 860 - V. Sandra; e 870 - São Braz. Juntas, essas linhas tem um fluxo de 31,1 mil pessoas por dia.

“A nossa ideia é avaliar mais essas linhas e a partir daí reduzirmos o valor em mais um lote”, diz Maia Neto. O objetivo é chegar a 17 linhas com o benefício.

A tarifa reduzida é possível graças à aprovação do projeto de lei que flexibiliza a tarifa do transporte coletivo de Curitiba, sancionada pelo prefeito Rafael Greca em setembro desse ano.

Segundo o presidente da Urbs, a flexibilização deve trazer também a diminuição da demanda nos horários de pico, o que pode gerar mais conforto para os usuários.Há impacto positivo na gestão operacional da frota, com melhor distribuição do uso dos veículos ao longo do dia, diminuindo a ociosidade do sistema.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES