Técnico do Barcelona critica fala de presidente interino sobre Messi: 'Não ajuda'

A polêmica sobre o desejo de Lionel Messi de sair do Barcelona, o que quase aconteceu na janela de transferências no meio deste ano, continua agitando os bastidores do clube. Nesta sexta-feira, o técnico holandês Ronald Koeman não gostou dos comentários feitos no dia anterior pelo presidente interino Carlos Tusquets sobre o impasse envolvendo o craque - o dirigente falou recentemente que o ideal era o time ter vendido o argentino.

Para Koeman, que vive um início de trabalho no Barcelona com altos e baixos no Campeonato Espanhol - mas está 100% na Liga dos Campeões da Europa, já classificado às oitavas de final -, é preciso controlar o ambiente do clube - que terá eleições presidenciais em janeiro de 2021 - internamente.

"Conhecemos a situação de Messi. Se há uma pessoa que pode decidir seu futuro, esse alguém é Leo. Não estou interessado em comentários de fora, mas se fizermos comentários do tipo dentro do clube, isso não nos ajuda. Não podemos controlar os comentários de fora. Mas por dentro é diferente", afirmou o treinador. "O episódio do Tusquets pode ser uma opinião dele, mas não acho que seja necessário. Leo tem esta temporada com o Barça e vai decidir o seu futuro. Espero que esteja aqui", prosseguiu.

Koeman foi questionado sobre o desejo de Neymar atuar com Messi mais uma vez. O treinador não escondeu que desejaria contar com ambos os craques no clube. Sendo assim, além de garantir a permanência do argentino, a diretoria teria que viabilizar a contratação do atacante do Paris Saint-Germain em 2021.

"Como clube, você sempre deve tentar ter os melhores jogadores aqui. Não gosto de falar individualmente. O que estou a dizer é que como clube, como culé (torcedor), como jogador e treinador, sempre quero ter os melhores jogadores do mundo", declarou.