Brasileirão

Claudinei fala sobre birra de Rodolfo, árbitro e desempenho

Claudinei reclama com o bandeira
Claudinei reclama com o bandeira (Foto: Geraldo Bubniak)

O técnico do Paraná Clube, Claudinei Oliveira, falou sobre tudo um pouco após o empate com o São Paulo, na entrevista coletiva na Vila Capanema, nessa quarta-feira (dia 22). O treinador comentou a reação do ponta Rodolfo, que chutou o banco de reservas e demonstrou muita irritação ao ser substituído no segundo tempo.

“Quanto ao Rodolfo, vou falar amanhã com ele, com a cabeça fria. Ele não estava bem no jogo. Não justifica a atitude dele. Jogador está ali para seguir a instrução do treinador. Quando eu chamei ele para entrar em campo, ele não me deu um beijo, não soltou rojão. Então não tem que ficar irritado quando sai. Se ele não entender, fica aqui esfriando a cabeça em Curitiba e não vai para São Paulo”, declarou. No sábado, o Paraná enfrenta o Corinthians, em São Paulo.

Sobre o jogo, Paraná elogiou o desempenho da equipe, mas lamentou o resultado. “Não é o resultado que nos interessava. Fizemos um bom jogo. O adversário estava com time completo e o Paraná, cheio de desfalques. Fizemos um jogo digno das tradições do clube. Pela qualidade do adversário, não dá para achar que o resultado é de todo ruim. Mas pela nossa situação na tabela, é ruim”, afirmou. “A equipe soube se portar. Soube propor o jogo. Conseguiu atacar e oferecer poucos contra-ataques ao São Paulo. O plano inicial era que os laterais não se projetassem tanto. Mas depois tivemos que soltar os laterais (depois do gol do São Paulo). O duelo foi interessante. 
Fomos do 4-2-3-1 para o 4-1-4-1. Daí voltamos para o 4-2-3-1 e ainda para o 4-1-4-1 de novo”, analisou. 

Em relação à arbitragem, Claudinei disse que não concordou com algumas decisões, inclusive de uma falta que anulou um ataque do Paraná. No lance, o goleiro adversário defendeu a finalização. Mesmo assim, o técnico protestou. “Se me prejudicar, eu falo mesmo. É complicado o árbitro dar falta porque um jogador empurrou um jogador da mesma equipe”, criticou.

Sobre a luta contra o rebaixamento, o técnico mostrou otimismo. “Temos condições de escapar. Falei para eles no vestiário: vocês estão mostrando que podemos sair dessa situação”, disse.