Publicidade
Acordo

Terminal de cargas do Porto de Paranaguá é arrematado por R$ 1 milhão

Governo e empresários comemoram resultado de leilão
Governo e empresários comemoram resultado de leilão (Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil)

Foram arrecadados nesta terça-feira, 13, R$ 148,5 milhões em outorgas no leilão de três áreas nos portos de Santos e Paranaguá. O certame aconteceu ontem pela manhã na B3, antiga Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). No Porto de Paranaguá foi leiloado um terminal para a movimentação de carga geral, que, após investimentos, poderá atingir a capacidade de movimentar 1,25 milhões de toneladas por ano.
Em lance único, a área de 27,5 mil m² foi arrematada pela empresa Kablin por R$ 1 milhão. A área é destina para movimentação de cargas em geral. Estão previstos investimentos de R$ 87 milhões. A área atenderá demanda de exportação da Klabin S/A, fábrica de celulose localizada em Ortigueira, também no Paraná. 
O terminal tem 27.530 metros quadrados com conexões viárias e ferroviárias e, após os investimentos, poderá atingir a capacidade de movimentar 1,2 milhão de toneladas por ano. A estimativa é que a nova área do armazém totalize 15 mil metros quadrados dedicados à armazenagem e 6,6 mil metros quadrados para alocação dos ramais ferroviários, totalizando aproximadamente 21,6 mil metros quadrados – sem mencionar a área destinada às manobras das empilhadeiras. “Isso mostra a confiança no Brasil, um resultado muito bem-sucedido, para ser comemorado. Reforça uma cadeia logística extremamente eficiente”, afirmou o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas.
Operações
O armazém deverá ser projetado para acomodar novos ramais ferroviários para descarga e permitir a transferência de fardos para caminhões, que carregarão a carga até o berço para o carregamento dos navios. Essas operações contarão com equipamentos como guindastes e empilhadeiras. A ideia é que essa armazenagem seja feita através da construção de uma ponte rolante para facilitar o transbordo da carga.
O objetivo do projeto é atender a produção de papel dos estados do Paraná e Santa Catarina, exportados principalmente para a China, e a cadeia logística da produção de celulose da fábrica da Klabin, em Ortigueira, nos Campos Gerais, uma das maiores do mundo.
“Esse investimento proporciona a verticalização total da nossa operação, nos permite posicionar a nossa carga desde a fábrica, diretamente ao terminal marítimo com acesso ferroviário. Isso vai nos garantir atingir níveis de produtividade em patamar internacional”, ressaltou Sandro Ávila, diretor de Planejamento Operacional, Logística e Suprimentos da Klabin.
Concluída esta etapa da licitação e aquisição da área, a sequência é a obtenção das licenças e a construção do novo armazém, pela empresa ganhadora. A previsão é que o início das operações ocorra até 2022.
A primeira área foi arrematada por R$ 112,5 milhões pela Hidrovias do Brasil. A empresa ganhou o direito de exploração por 25 anos de três armazéns interligados por esteiras ao cais, em um total de 29,3 mil metros quadrados para movimentação de sal e fertilizantes. A previsão do governo federal é que a nova concessionária traga investimentos de cerca de R$ 219,3 milhões.
A segunda área em Santos foi leiloada para a Aba Infraestrutura por R$ 35 milhões. A outra concorrente, a Empresa Brasileira de Terminais, teve o lance desclassificado por ter diversos outros ativos na mesma parte do porto. Sendo assim, a oferta da Aba foi a única considerada válida.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES