Política em Debate

Teste positivo

(Foto: CMC/arquivo)

A assessoria do vereador Jairo Marcelino (PSD), 77 anos, confirmou no fim da tarde de ontem que o teste para Covid-19 dele deu positivo. Ele já está internado na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Hospital Vita, em Curitiba, com pneunomia. Segundo informações da assessoria da imprensa da Câmara, o quadro clínico é estável e apresentou melhoras significativas no dia de hoje, porém requer atenção hospitalar devido ao diagnóstico de pneumonia. “O vereador está sendo assistido por uma excelente equipe médica e com todo o suporte necessário”, diz a nota.

Segundo caso
Marcelino é o segundo caso de Covid-19 entre vereadores de Curitiba. No dia 15 de setembro, a vereadora Noemia Rocha (MDB) teve alta hospitalar depois de ficar sete dias internada para tratamento do vírus.

Economia
Balanço divulgado ontem pela Câmara Municipal de Curitiba aponta que a Casa abriu mão de quase 30% dos R$ 215 milhões do orçamento da Capital à que tinha direito, considerando a prerrogativa constitucional de receber até 4,5% de um conjunto de receitas. Com isso, a Câmara planeja não ultrapassar despesas de R$ 154 milhões neste ano. Inclusive, em razão da pandemia, já contingenciou R$ 12,3 milhões.

Linha Verde
O candidato a prefeito de Curitiba, João Arruda (MDB), apresentou ontem a proposta de reestruturação da Linha Verde, com a eliminação dos semáforos e nove obras de intervenções, entre trincheiras e viadutos. “Vamos diminuir o tempo do trajeto de uma hora para 25 minutos. Isso vai impactar de forma positiva na vida dos trabalhadores de Curitiba e da região metropolitana que precisam usar a Linha Verde, de automóvel ou de ônibus. Será um grande avanço para a mobilidade urbana da capital e mais tempo para os curitibanos poderem passar com a família”, explicou Arruda.

Gargalo
A proposta integra o plano estratégico do MDB para reestruturação e renovação urbana, elaborado pelo arquiteto e urbanista, Luiz Forte Netto. “A Linha Verde, além de ser uma obra que demorou tempo demais para chegar ao estágio atual e ainda não foi concluída, se tornou um gargalo que dividiu a cidade em duas. Precisamos intervir rápido para resolver esse problema e não ficar dormindo no ponto como faz o Ippuc atualmente”, disse o candidato.

Contratações
O Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE/PR) acatou representação do Ministério Público de Contas (MPC-PR) a respeito de irregularidades identificadas na terceirização de serviços de saúde pela prefeitura de Irati (Campos Gerais) entre 2017 e 2018. Como resultado, os conselheiros julgaram irregular a contratação de duas empresas de propriedade de servidores públicos municipais por meio do credenciamento, feito por inexigibilidade de licitação em 2017, de prestadoras de serviços médicos.

Fiscalização
Eles também desaprovaram a falta de planejamento e de fiscalização quanto à terceirização de serviços públicos de saúde. Em virtude dessas duas falhas, o prefeito Jorge David Derbli Pinto (gestão 2017-2020) foi multado em R$ 4.248,80. Também foram consideradas impróprias, sem aplicação de multa, a contabilização irregular de despesas com a terceirização de serviços de saúde; e a falta de controle sobre a carga horária de trabalho de parte dos médicos que trabalham para a prefeitura.